• Lollapalooza: um motor para música alternativa

    O Lollapalooza foi um dos maiores festivais de música alternativa surgido no início dos anos 90. Ele funcionou como um motor para a cena musical que fervilhava naquele início de década e colocou algumas bandas alternativas de cara com a música pop global.

    Origem, queda e renascimento do maior festival de música alternativa do planeta

    Lollapalooza 2

    O Festival Lollapalooza começou a ser idealizado ainda em 1990, quando o líder da banda Jane’s Addiction, Perry Farrel, estava programando uma turnê itinerante para a despedida do grupo. Inicialmente, a ideia era que o festival servisse de palco para a banda de Farrel e ainda apresentasse novas bandas como uma forma de apoiar a cena alternativa americana. O termo Lolapalooza vem dos séculos XIX e XX, de uma expressão americana que significa “uma extraordinária ou incomum coisa, pessoa, ou evento; um exemplo excepcional ou circunstância”.
    Em 1991 o festival finalmente saiu do papel e percorreu os Estados Unidos. Nessa época o festival só contava com um palco e ainda não tinha expandido a ideia de festival com forte influência política e cultural.
    Principais atrações de 1991: Jane’s Addiction, Siouxsie and the Banshees, Living Colour, Nine Inch Nails, Violent Femmes, Fishbone, Ice T & Body Count, Butthole Surfers, Rollins Band, entre outros.
    O ano de 1992 foi marcado pelo crescimento do festival. O que era para ser uma turnê de despedida do Jane’s Addiction, ganhou contornos gigantescos. Mais um palco foi adicionado, criaram-se mesas redondas para discutir política e muitas atividades culturais foram acrescentadas ao festival. Vale lembrar que nesse período, discos, até então alternativos, como Nevermind, do Nirvana, haviam tomado as paradas de música de assalto e o rock alternativo via seu grande momento acontecer.
    Principais atrações de 1992: Red Hot Chili Peppers, Alice In Chains, Smashing Pumpkins, Soundgarden, Rage Against The Machine, Ice Cube, Pearl Jam, Porno For Pyros (a nova banda de Perry Farrel), Stone Temple Pilots, entre outras.
    As edições de 1993, 1994 e 1995 seguiram a tendência que a versão de 1993 tinha apresentado. Cada vez mais engajamento político, cada vez mais datas e um conteúdo cultural que movimentava a comunidade de música pop mundial. Artistas fizeram seus nomes apresentando shows históricos.
    Principais atrações que passaram pelos palcos dessas edições:
    Smashing Pumpkins, Beastie Boys, George Clinton, The Breeders, L7, Green Day, The Verve, The Black Crowes, Cypress Hill, Sonic Youth, Hole, Beck, Elastica, Patti Smith, entre outros.
    A edição de 1996 atingiu seu ápice com 2 palcos principais e um palco onde apresentava bandas ainda mais alternativas e bandas locais. Uma estrutura gigantesca que percorria todo o território americano e ainda passava por algumas cidades do Canadá. Mas em 1997, Perry Farrel passou a se desentender com outros sócios do festival, por não concordar que uma banda como o Metallica, que já tinha um histórico de declarações machistas, participasse do festival. Para Farrel, isso ia de encontro a todo o histórico que o festival havia criado. O festival encerrou as atividades, já que em 1998, muitas bandas se recusavam a tocar e a produção teve dificuldade de montar um lineup que atendesse os fãs.
    O festival só retornaria em 2003, já com um novo pensamento. O conceito do que era música alternativa ou música mainstream já não era tão visível. Bandas que haviam tocado nas primeiras edições ocupavam os postos de paradas musicais no mundo todo, mesmo considerando-se alternativas. O festival abriu-se para bandas maiores e em 2010 começou a sua expansão pelo mundo.

    Quando brasileiros começarem a reclamar que não conhecem as atrações que tocam nessa edição brasileira de 2019, conte para eles sobre a gene embrionária do festival que sempre primou por artistas menos conhecidos. O Lollapalooza é o tipo de festival que funciona muito bem para conhecer novos artistas e verificar tendências. O Lollapalooza Brasil 2020 ocorre de 03 a 05 de abril, no Autódromo de Interlagos – São Paulo e conta com nomes como Travis Scott, The Stokes, Lana Del Rey, Gwen Stefany, Pablo Vittar, Emicida, Djonga, Silva, além dos gigantes do Guns N’ Roses.
    A agência de turismo De Passaporte preparou uma campanha especial para atender os fãs de todo o Brasil. São passagens aéreas e hospedagens com tarifas reduzidas para o período do evento, para que ninguém fique de fora.
    Clique aqui e confira as vantagens preparadas para o evento: depassaporte.com.br/lollapaloozabr

    dmca-badge-w150-5x1-06

    Deixe seu comentário
  • Algumas curiosidades sobre o Rock In Rio

    O Rock in Rio é um dos maiores festivais de música do mundo! Sua primeira edição ocorreu em 1985, na cidade do Rio de Janeiro e, desde a sua criação, já ganhou outras edições, tanto no Brasil como em outras partes do mundo. Ainda na sua primeira edição, já se tornou um evento de repercussão em nível mundial, mas não foi fácil atingir esse patamar.

    O Rock In Rio elevando Brasil e outro patamar

    Queen Rock In RioAté o Rock In Rio, o Brasil não era acostumado a receber atrações internacionais com muita frequência. De grandes artistas, apenas o Van Halen, o Kiss, o Peter Frampton e o Queen tinham se apresentado por aqui. Para Medina, idealizador do festival, conseguir que outros artistas aceitassem vir tocar no país, ele precisou criar algumas mentiras. Por exemplo, ele falou para o Ozzy Osbourne que o Iron Maiden já havia aceitado o convite. Para o Iron Maiden ele falou que o Ozzy Osbourne já tinha aceitado. Na verdade, ninguém ainda havia aceitado, mas quando os artistas viam que outros da mesma linha tinha aceitado, acabavam aceitando também.
    O Queen foi a atração principal daquela primeira edição. A banda, apesar de lotar estádios em todo o mundo, tinha problemas para tocar nos EUA, o que levou a banda a buscar novos mercados, e isso incluía a América do Sul. O poder de fogo da banda era tanto, que toda a iluminação utilizada no festival era deles.
    O local onde ocorreu o festival era uma área isolada da cidade e precisou de muitas máquinas para terraplanar o local. Fora que ainda havia um outro problema, pois o terreno era um encharco. Quando a chuva caiu nos primeiros dias dos shows, tudo virou um grande lamaçal.
    As bandas nacionais sofreram nas mãos de produtores americanos. Naquela época, os artistas nacionais não tinham conhecimento com equipamentos de ponta. Era comum os artistas nacionais reclamarem do volume do som ou da equalização, já que os produtores deixavam a melhor parte para as atrações que tocariam na parte da noite, que eram os artistas internacionais.
    Naquela primeira edição, o número de shows foi algo exorbitante. Cada banda se apresentava duas vezes no Festival. Apenas o Iron Maiden não pôde tocar em dois dias, em função da agenda de shows.
    A primeira edição se tornou um marco histórico dentro da música pop brasileira. Após o festival houve uma explosão do rock nacional, que passaram a tocar em estações de rádio de todo o país. Algumas bandas que estavam em início de carreira, como Barão Vermelho, Kid Abelha e Paralamas do Sucesso, viram suas vidas se transformarem.

    Alguns momentos foram eternizados na memória de quem estava lá e de quem viu de casa pela transmissão da Rede Globo. Só para citar alguns:
    01. Cazuza cantando “Pro dia nascer feliz”, justamente quando Tancredo Neves teve uma importante vitória para tirar o Brasil da ditadura;
    02. Paralamas do Sucesso, de bermudas, quase garotos, tocando para uma plateia gigante;
    03. Pepeu Gomes e Baby do Brasil tocando juntos e ela grávida sambando no palco;
    04. Kid Abelha enfrentando fãs de heavy metal enfurecidos no primeiro show da banda. Mesmo assim a Paula Toller, levou o show até o final;
    05. James Taylor vendo sua carreira renascer no Brasil, ele que já pensava em aposentadoria. Ele compôs uma canção para agradecer aquele momento chamada “Only a dream in Rio”;
    06. O Iron Maiden ensandecido no palco, saciando toda a sede de fãs de heavy metal, que nunca tinham visto algo do tipo no país;
    07. Rita Lee não queria tocar, só aceitou para provar que os rumores de que ela estava com câncer e em estado terminal, era mentira;
    08. E sem dúvidas a imagem que percorreu os anos e se tornou um símbolo daquela época: Freddie Mercury regendo um coro de mais de 250 mil vozes, cantando em uníssono “Love of my life”. Isso se tornou tão importante para eles, que apareceu até no filme Bohemian Rhapsody, lançado em 2018.

    Ao longo de mais de 30 anos, o Rock in Rio teve 18 edições, sete no Brasil, oito em Portugal, três na Espanha e uma nos Estados Unidos. Em 2008, foi realizado pela primeira vez em dois locais diferentes, Lisboa e Madrid. Para edição 2019, já tem nomes confirmados como Seal, Scorpions, Iron Maiden, Sepultura, Black Eyed Peas, Anitta, Muse, Imagine Dragons e Paralamas do Sucesso.A agência de turismo De Passaporte, pensando na comodidade e economia de todos os interessados no evento, preparou uma campanha especial. São passagens aéreas com tarifas reduzidas, no período do evento. Além disso, preparou também hospedagens com descontos exclusivos, nas imediações do Parque Olímpico. Não tem como ficar de fora dessa edição!

    Clique aqui e veja nossa campanha promocional: depassaporte.com.br/rockinrio

    Deixe seu comentário
  • De Passaporte participa da Feira EBS 2018

    Considerada a principal feira do segmento MICE e T&D do Brasil, a Feira EBS comemora o seu 16º ano em 2018, mantendo o objetivo de reunir toda a cadeia produtiva desta indústria em um único lugar, de um lado, os profissionais de marketing, eventos, RH, treinamento, incentivo e compras das principais empresas do país, do outro, empresas fornecedoras de produtos e serviços para esse mercado.

    A feira tem como público alvo os Profissionais de Marketing, Eventos, RH, Treinamento, Incentivo e Compras das principais empresas que realizam e promovem eventos de pequeno, médio e grande porte; Agências de Live Marketing, Promoção, Eventos, Incentivo e Viagens Corporativas; Gestores de Eventos das associações e entidades de classe (destaque as associações médicas e laboratórios farmacêuticos);
    Organizadoras de Congressos, Eventos Técnicos/Científicos e Feiras Comerciais; Associados do EBS Buyers Club (grupo formado por 500 empresas que juntas investem mais de R$ 250 milhões/ano em contratação de fornecedores para eventos corporativos, experiências corporativas e viagens de incentivo).

    O evento será realizado no Centro de Convenções Rebouças entre os dias 6 e 7 de junho de 2018.

    De Passaporte na Feira EBS

    A De Passaporte estará presente na Feira EBS. Durante o evento você poderá conhecer mais da empresa, saber mais detalhes sobre os serviços que negociamos especialmente para os eventos que tem parcerias conosco e também sobre nossos fornecedores.

    A nossa equipe comercial estará a disposição para dar informações sobre a parceria e para fechar novos negócios.

    Credenciamento na Feira EBS

    O credenciamento tem três opções:

    Profissional (até 3 de junho): Categoria Somente para profissionais gestores de empresas contratantes de produtos e serviços para eventos corporativos, incentivos, congressos, feiras e RH/Treinamentos. Gratuita.

    Associados EBS Buyers Club (até 3 de junho): Profissionais associados ao EBS Buyers Club, clube de relacionamento e negócios do mercado de eventos no Brasil. Mais informações: www.ebsbuyersclub.com.br. Gratuita.

    Fornecedor: Categoria para profissionais que representam empresas que comercializam Produtos/Serviços para eventos corporativos e incentivos. A partir de R$420,00 (até o dia 04 de junho).

    Para se credenciar acesse www.feiraebs.com.br/credenciamento-online.

    Programação de Palestras:

    6 de junho:

    Arena Experience 1

    14h00 – 14h20: Marketing Preditivo com Marcel Ghiraldini

    15h30 – 15h50: Marketing de conteúdo em eventos com Rafael Rez

    Arena Experience 2

    15h00 – 15h20: O marketing construindo pontes com Silvana Torres

    16h30 – 16h50: Marketing e Comportamento do consumidor com Gabriel Rossi

    17h00 – 17h20: Inovar ou Morrer com Beia Carvalho

     

    7 de junho:

    Arena Experience 1

    15h00 – 15h20: Inspire-se! 5 dicas para você prospectar mais e melhor! Com Myrian Mourão

    15h30 – 15h50: Como o MIT me ensinou a ser feliz no trabalho com Luiz Buono

    Arena Experience 2

    14h00 – 14h20: Quando o evento abraça uma causa com Doris Sandoval Lavorat

    14h30 – 14h50: Diversidade, Inclusão e Times Complexos com Nina Silva

    15h00 – 15h20: Utilização x Efetividade: Estratégias de Marketing Digital com Felipe Schepers

    15h30 – 15h50: Design de Turismo de Experiências: Sensibilização e Análises com Bruno Manhães

     

    Mais informações sobre a Feira EBS em www.feiraebs.com.br/feira-ebs-2018.

     

    ebspost

    Deixe seu comentário