• Dia da Consciência Negra numa viagem pelo Brasil

    Consciência Negra 01
    Desde a década de 70, o mês de novembro começou a ganhar contornos sociais voltados para a causa negra no Brasil. Para ser mais específico, era o 20 de novembro que marcava ainda mais esse dia, reconhecido posteriormente como o Dia da Consciência Negra. O 20 de novembro marca a emboscada e morte de Zumbi dos Palmares, um dos maiores líderes negros na luta contra o sistema escravocrata. Zumbi foi morto em 1695 pelas tropas coloniais, após sucessivos ataques ao Quilombo de Palmares. Ele conseguiu organizar o maior território de resistência na Serra da Barriga em Alagoas e que durou cerca de 100 anos. Em seu auge populacional o quilombo chegou a ter de 25 a 30 mil negros livres.
    A data foi institucionalizada em 2003 como o Dia da Consciência Negra e entrou no calendário escolar de todo o país. Em 2011 a então Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, oficializou a data como Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra. Muitos questionam a existência da data, mas vale lembrar que o 13 de maio marca apenas a abolição da escravatura e as diversas entidades que lutam pela causa nunca sentiram que a data era conveniente para expressar todos os anseios da comunidade negra em todo o país.  A data, entre tantas outras coisas, desperta a discussão sobre racismo, discriminação racial, igualdade social, inclusão de negros na sociedade e cultura afro. Um período em que fóruns, debates e atividades se intensificam em todo o país e assuntos relacionados são amplamente discutidos.

    10 Lugares marcados pela cultura negra no Brasil

    01. MUSEU AFRO BRASIL (SÃO PAULO)
    O Museu foi inaugurado em 2004 com a função de gerar um maior reconhecimento e preservar o patrimônio cultural africano e afro-brasileiro. O espaço sempre conta com exposições ancoradas nos eixos da arte, da história e da memória. O lugar é ideal para ter uma maior consciência da influência negra na construção da sociedade brasileira, seja na cultura, na religião, no trabalho e artes.

    02. QUILOMBO DA RASA (RIO DE JANEIRO)
    O quilombo foi reconhecido em 2005 pelo INCRA e pela Fundação Palmares. O local fica próximo a Búzios e cerca de 180 Km da cidade do Rio de Janeiro e originou-se da antiga Fazenda Campos Novos. Lá é possível encontrar descendentes de povos africanos escravizados e, apesar do forte processo de descaracterização que os povos africanos sofreram ao longo dos séculos, com o forte processo de evangelização na década de 50 do século passado, a comunidade manteve fortes traços da cultura original. O local conta com cerca de 800 famílias que guardam as tradições e o clima bucólico que inclui até canoas ancoradas na beira da praia.

    Consciência Negra 03 - Quilombo do Campinho

    Quilombo do Campinho, RJ

    03. QUILOMBO CAMPINHO (RIO DE JANEIRO)
    Localizado próximo a cidade de Paraty, o Quilombo do Campinho da Independência é banhado pelo Rio Carapitanga e fica numa área de 287 hectares, cercado por mata atlântica, cachoeiras, árvores frutíferas e criação de animais. O local é habitado por cerca de 150 famílias que guardam as tradições de seus antepassados. O local está aberto a visitantes e possui uma excelente estrutura para receber o turista. Os moradores locais entenderam a importância de repassar essa cultura de forma turística e hoje é a principal fonte de renda da região. É possível almoçar no restaurante local, visitar as casas de farinha ou ouvir a contação de histórias oferecidas pelos Griôs (pessoas responsáveis por passar a cultura oral da comunidade). Uma excelente oportunidade de conhecer pessoas simples e entender um pouco mais sobre o modo de vida da comunidade.

    04. CAIS DO VALONGO (RIO DE JANEIRO)
    O Cais do Valongo foi um dos locais que mais recebeu negros no Brasil. A região era mais escondida e isso ajudava no tráfico de escravos, já que ficava mais afastado do centro da cidade da época. Em 1831 a área deveria deixar de funcionar como ponto de comercialização de escravos, em função das leis contra a escravidão começaram a se tornar um pouco mais severas. Não foi suficiente, pois as negociações passaram a ser feitas à noite. Já em 1843, na tentativa de esconder essa triste ferida social da imperatriz Tereza Cristina, ele foi soterrado dando espaço ao Cais da Imperatriz. Em 1911, novamente o cais sofre outro aterro, dando lugar à Praça do Comércio. Em 2011, durante um processo de reforma da zona portuária do Rio de Janeiro, descobriu esse único vestígio material da chegada de africanos escravizados nas Américas. A partir daí recebeu o título de patrimônio histórico da humanidade pela UNESCO em 2017 e está lá, imponente, para nos lembrar o doloroso processo de chegada dos escravos no Brasil.

    Consciência Negra 04 - Praça dos Orixás

    Escultura da Praça dos Orixás

    05. PRAÇA DOS ORIXÁS (DISTRITO FEDERAL)
    Brasília também tem seu monumento recente para lembrar a cultura e a religião de matriz africana. Ao lado do Lago Paranoá, há uma praça chamada Prainha (Praça dos Orixás), onde estão instaladas 16 estátuas de divindades afro-brasileiras, todas criadas pelo artista baiano Tati Moreno. O local tem um histórico de intolerância religiosa praticada por pessoas que não respeitam as religiões de matrizes africanas e está no meio do lago como um ponto de resistência da cultura e da fé. As estátuas são réplicas das que estão instaladas no Dique do Tororó, em Salvador.

    06. CASA DOS CONTOS DE OURO (OURO PRETO)
    A casa já assumiu diferentes funções desde que foi construída entre 1782 e 1787. Já foi sede da Capitania de Minas Gerais, já serviu como esconderijo para membros da Inconfidência Mineira, entre outras coisas. O longo dos anos ela foi sofrendo algumas alterações e restaurações, onde descobriram um chão bem característico das senzalas. Atualmente o local funciona como o museu do garimpo no Século XVII e como o trabalho escravo impactou esse período.

    07. MUSEU DA ABOLIÇÃO (RECIFE)
    O espaço onde atualmente funciona o museu tem uma importância inestimável para a história do Brasil. Situado na cidade de Recife, já funcionou como casa de engenho, teve importância estratégica durante a invasão holandesa, além de figurar em outros momentos históricos. No final da década de 50 houve a ideia de transformá-lo em Museu da Abolição, como uma homenagem aos abolicionistas Joaquim Nabuco e João Alfredo.
    No início dos anos 90 viu seu acervo sofrer um revés, quando o Governo Collor retirou todo o apoio financeiro, chegando a fechar por mais de cinco anos. Atualmente guarda um rico acervo documental acerca do processo de abolição da escravatura.

    Consciência Negra 06 - Cachoeira (por Erick Rabello)

    Cachoeira, BA

    08. CIDADE DE CACHOEIRA (BAHIA)
    Bem, aqui não dá pra destacar apenas uma coisa. A cidade é o grande destaque. Ocupada majoritariamente por afro descendentes, a cidade foi um dos polos econômicos no período em que a escravidão esteve mais forte. É possível sentir a influência da cultura negra em um simples passeio na cidade e observar as casas em estilo barroco do Século XVIII, a cultura local, o samba de roda característico do Recôncavo com seu samba chula, a culinária desenvolvida na cidade com forte acento afro. Não deixe de saborear uma moqueca ou uma maniçoba na beira do Rio Paraguaçu. Visite a Irmandade da Boa Morte, uma confraria de mulheres negras com mais de 50 anos, que são a alma da cidade. Acredite, você sairá encantado como a cidade conseguiu guardar tanto da cultura e assumir isso para o mundo!

    Consciência Negra 08 - Parque Memorial Quilombo dos Palmares

    Parque Memorial Quilombo dos Palmares, AL

    09. UNIÃO DOS PALMARES (ALAGOAS)
    Aqui nasceu o maior quilombo das Américas. Um local de resistência que abrigava escravos que conseguiam fugir das fazendas de todo o Brasil. Não era um caminho fácil chegar até lá, mas no período da escravidão no Brasil o local tornou-se o maior foco de resistência e alguns historiadores a chamam de pequena África. Praticamente uma cidade se desenvolveu aqui e em seu momento mais populoso chegou a ter 30 mil moradores livres. Além dos negros, índios e brancos que entendiam a luta se juntavam para fortalecer o quilombo. Atualmente o local guarda o Parque Memorial Quilombo dos Palmares, onde recria o ambiente tal qual era na época. Uma viagem pela história de força e resistência do povo negro que nunca foi cativo.

    10. SALVADOR (BAHIA)
    Se você quer se reconectar com suas origens, Salvador é o caminho mais indicado. A cidade foi o primeiro local no Brasil a receber os primeiros negros que desembarcaram forçados levados da África. Alguns costumam chamar a cidade de Meca Negra, um local onde todo negro precisa ir pelo menos uma vez. Se você passar alguns dias na cidade vai entender como a desigualdade ainda existe por lá, mas verá um outro lado que não é comum em outras capitais do Brasil. A população negra aceita suas origens africanas como nenhuma outra. Essa aceitação trouxe um aporte social e cultural carregado de negritude, seja na culinária, na música, na comunicação, nas danças entre outros. Vá na cidade com esse olhar de reconhecer a importância dos negros na formação da sociedade. Visite os museus voltados para a reflexão do povo negro, os blocos afros, os terreiros de candomblé, etc. Não preciso falar que você precisa visitar o Pelourinho, um local onde os negros eram castigados e a cidade conseguiu dar a volta por cima e transformá-lo num lugar de beleza, celebração e reflexão.
    A canção Haiti de Caetano Veloso e Gilberto Gil resume o Pelourinho em poucos versos:

    Consciência Negra 05 - Salvador (por Erick Rabello)

    Salvador, BA

    “Onde os escravos eram castigados
    E hoje um batuque um batuque
    Com a pureza de meninos uniformizados
    De escola secundária em dia de parada

    E a grandeza épica de um povo em formação
    Nos atrai, nos deslumbra e estimula…”

    Viaje pelo Brasil. Viaje pela História.
    A De Passaporte possui um hotsite exclusivo onde você pode comprar passagens e hospedagens com valores reduzidos e se aprofundar um pouco mais na história do Brasil. Acesse nosso hotsite exclusivo e faça uma pesquisa: https://www.depassaporte.com.br/lazer/

     dmca-badge-w150-5x1-06

    Deixe seu comentário
  • Dicas para viajar com crianças

    Viagem com Crianças 06

    Viajar com crianças torna-se um terror para alguns pais. O medo de viajar e dar tudo errado, a insegurança de organizar a viagem, escolher roteiros, organizar malas, a preocupação com a alimentação, enfim. Tudo isso termina travando uma viagem em família e, muitas vezes, pais que costumavam viajar quando não tinham filhos sentem-se frustrados por não poder mais fazer aquelas viagens que tanto gostavam.
    Com um pouco de planejamento é possível viajar com filhos, sim. Claro que os horários mudam, os lugares mudam, a atenção precisa ser redobrada, mas com planejamento será possível fazer uma viagem em família inesquecível com os pequenos. Não importa a idade deles. Pensando nessas preocupações que inundam a cabeça dos pais, vamos dar dicas de como se planejar para aquela sua viagem.

    Sete dicas para viajar com crianças com menos preocupação

    01. A ESCOLHA DO DESTINO
    A viagem começa na escolha do destino. Procure escolher locais que tenham atrações que agradem toda a família. Não adianta viajar para um local que as crianças vão se divertir e os pais serão apenas a equipe de apoio. O local pode ser um que já tenha uma excelente estrutura e que você já tenha familiaridade, o que lhe dará maior segurança. Por outro lado, a escolha de um destino mais diferenciado e menos tradicional irá proporcionar uma experiência mais desafiadora para todos. Locais como resorts e hotéis fazendas são excelentes para quem busca mais comodidade. Lugares como praia, campo ou culturas diferentes enriquecem bem mais a experiência. Claro que dependendo do número de crianças a atenção será ainda maior, mas com o passar dos dias, você irá se organizar melhor e conseguir curtir todos os pontos. É importante lembrar que a diversão deve começar na escolha do destino. Faz uma pré-seleção de possíveis destinos e chama as crianças para uma escolha em conjunto. Isso fortalece os laços familiares.

    02. ORGANIZANDO A VIAGEM
    Viagem com Crianças 01Essa talvez seja a parte mais importante de todo o processo. É aqui que você irá programar a viagem, quantidade de dias, o roteiro que irá ser feito, entre outras coisas. Se possível, já programe a compra das passagens, hospedagem, locais que gostariam de visitar, etc. Nessa hora é bom dividir as atividades pelo número de dias e de maneira que inclua todas as pessoas da viagem. Se tiver crianças, escolher atividades que sejam para elas; se tiver adolescentes ou pré-adolescentes, é importante que eles sejam contemplados com uma programação deles. Não esquecer que os pais também precisam se divertir, então é preciso combinar com os participantes da viagem que todos precisam ser contemplados com atividades. Para crianças isso irá ajudar no crescimento e como ela precisa abrir mão em alguns momentos para que os outros também se divirtam.

    03. PREPARE A DOCUMENTAÇÃO
    Viagem com Crianças 05
    Aqui é o momento que você irá verificar toda a documentação necessária para todos os membros do grupo familiar, em especial as crianças e adolescentes. Para eles as regras para viagens são mais rígidas que para um adulto, por exemplo. Viajar com crianças é exigido que elas tenham, pelo menos, sete dias de vida, mas os médicos só recomendam que a primeira viagem seja feita após os dois primeiros meses. Isso porque a pressão interna da aeronave pode incomodar bebês. É sempre bom verificar com a companhia ou com a agência de viagem quais as vacinas exigidas para o destino que você está indo.
    Em relação a documentação, é preciso estar bem atento. Em viagens nacionais, se a criança não estiver viajando com os pais, deve-se apresentar uma autorização reconhecida em cartório e que contenha RG e CPF da pessoa que está acompanhando a criança ou adolescente. Em caso de viagens internacionais, se a criança estiver acompanhada apenas de um dos pais, deverá apresentar uma autorização, também reconhecida em cartório referente a outra parte que não irá acompanhar a criança. Em caso de extravio, furto ou roubo desses documentos em uma viagem internacional, deve-se procurar a embaixada brasileira.

    04. FAZENDO AS MALAS
    O mais recomendado é fazer a mala de cada membro separadamente. Se forem adolescentes, deixe que eles organizem as malas e você só irá orientar. Se for criança, a tarefa será dos pais. O ideal é colocar tudo que precisa levar em cima da cama e organizar tudo na mala. Criança dificilmente dá para repetir roupa, coisa que os adultos fazem com tranquilidade. Então organize as roupas e sempre deixe duas ou três peças extras. Não esquecer de separar alguns brinquedos para crianças menores, pois elas irão precisar enquanto vocês esperam na fila do aeroporto, por exemplo. Vale lembrar das limitações de peso para bagagens, então é preciso levar só o necessário. Para não esquecer nada, recomendo fazer um checklist com alguns dias de antecedência.

    05. NO AVIÃO
    Viagem com Crianças 03Viagens de avião são tediosas para adultos, imagina para crianças que a noção de tempo é bem diferente! Se for viajar com bebês, tente não ficar muito distante do banheiro. Para crianças um pouco maiores é recomendado levar alguns brinquedos para distração, mas lembrar de levar algum que não faça barulho. Se for tablete ou celular, não esquecer de levar fones de ouvido. A ideia é sempre ter algo que possa entretê-los, mas não incomodar o passageiro que vai do lado. Além disso, a maioria das companhias aéreas possuem lápis de cor e papel, basta solicitar. É sempre bom manter alguns lanchinhos na bagagem de mão, pois as crianças podem precisar durante o voo. Para crianças menores é recomendado deixar também uma muda de roupa extra.
    Crianças até 02 anos geralmente não pagam a passagem, mas precisam ir no colo dos pais. Quando a tarifa é cobrada, geralmente é um percentual da passagem de um adulto. Para crianças de 02 a 12 anos, é cobrado também o percentual do valor de um adulto, mas aí já tem direito a um assento. Se precisar de cadeirinha ou berço, é bom consultar a companhia aérea com antecedência.

    06. PROGRAMAS NA VIAGEM
    É importante programar os pontos que se quer visitar com bastante antecedência. Tentar criar um roteiro que satisfaça a todos e respeitar as individualidades. Preparar programas de acordo com a idade de cada membro da família, assim todos irão curtir melhor a viagem.
    Durante o almoço é sempre bom optar por restaurantes que tenham espaços infantis. Criança não vê graça em ficar conversando e olhando os outros. Basta pegar uma mesa mais próxima possível da área de diversão. É sempre bom manter uma garrafinha com água, suco, e alguns lanchinhos, assim você não terá que desembolsar dinheiro para cada coisa que a criança encontrar na rua.
    Crianças adoram parques e vão querer brincar em todas as pracinhas que encontrarem. Nessa hora é preciso impor limites e deixar claro para onde está indo. É ideal fazer também com que as crianças tenham consciência do dinheiro e que elas precisam fazer escolhas. A viagem pode ser também educativa, mas sem muito estresse. Tire algumas horas para sentar em praças e parques e deixar as crianças brincarem livremente. Elas gostam de correr atrás de pássaro, brincar com a água, neve, etc. Se possível, entre na brincadeira e fortaleça os laços familiares. Para pais que trabalham fora, essas atividades são importantes.

    07. CUIDADOS NA VIAGEM
    Viagem com Crianças 04Já falamos que você deve adquirir um seguro viagem? Uma coisa que não pode faltar na viagem é um seguro. Aqui você não terá mais como deixar isso de lado, pois imprevistos acontecem. Um seguro viagem dará mais tranquilidade para os pais. Além disso, coloque uma pulseira com algumas informações básicas como o nome da criança, telefone do responsável ou do hotel em que estão hospedados. Isso te dará uma segurança maior para curtir mais a viagem.
    Não é porque vocês estão em férias que os horários devem ser desrespeitados, então siga à risca os horários de alimentação e sono, mas de forma natural. A viagem vai servir também para ajudar na disciplina e na noção de responsabilidade. Os passeios devem mesclar atividades de adultos, de crianças e de adolescentes, de forma que todos sintam-se contemplados durante o dia.

    As crianças adoram conhecer lugares diferentes e descobrir novas atividades e amizades. Não é porque a viagem irá exigir um pouco mais de atenção e cuidado que ela não pode ser prazerosa para todos e essas viagens reforçam os laços familiares. Esqueça o medo e tenha em mente que você já organizou bem a viagem. Aproveita que outubro é o mês das crianças e programa uma viagem com os pequenos. A De Passaporte sempre tem passagens aéreas e hospedagens para diversos lugares com tarifas reduzidas. Entre em nosso hotsite e faça uma pesquisa: https://www.depassaporte.com.br/lazer/

    dmca-badge-w150-5x1-06

    Deixe seu comentário
  • Cidades que você precisa visitar na primavera

    Primavera 01
    “Quando entrar setembro
    E a boa nova andar nos campos…”
    Sol de Primavera (Beto Guedes / Ronaldo Bastos)

    Chegou a primavera!

    Os versos de Beto Guedes e Ronaldo Bastos lançado em 1979 no álbum “Sol de Primavera” marcaram a história da música popular brasileira como uma ode à estação mais florida do ano. A primavera marca o fim do inverno e o renascimento após dias mais frios. Comumente as pessoas associam a estação à renovação e a promessa de coisas novas. Nada como iniciar a estação programando uma viagem para renovar a alma e conhecer novos lugares ou até mesmo rever lugares já visitados com um novo olhar. Preparamos um guia com as 12 cidades mais floridas do Brasil para você programar sua viagem.

    01. GRAVATÁ – PE
    Primavera 02 - Gravatá PE
    Situada cerca de 80 Km de Recife, a cidade de Gravatá ainda guarda aquele ar bucólico de cidade do interior. Nascida às margens do Rio Ipojuca, a cidade era um ponto de descanso estratégico para os viajantes que seguiam para a região do Agreste pernambucano. Ao longo das décadas a cidade ganhou importância turística e tornou-se um refúgio para quem busca temperaturas mais amenas e relações mais próximas, já que o povo da cidade é extremamente acolhedor. Como a cidade está situada na Serra da Borborema, uma área montanhosa, o clima é bem agradável e as estações do ano são bem definidas. Na primavera, as ruas se enchem de flores. A cidade conta com uma boa rede de hospedagens e a gastronomia local é bem caprichada e vai desde a culinária suíça à buchada de bode. Não deixe de subir no Alto do Cruzeiro e ter uma visão panorâmica da cidade.

    02. MANAUS – AM
    Não é comum a cidade de Manaus aparecer como um dos principais polos turísticos para se visitar no Brasil, pelo menos em alguma estações do ano. Um erro, já que a cidade fica no coração da maior floresta tropical do mundo. É a maior cidade da região e já conta com quase 3 milhões de habitantes. Exerce um impacto social, econômico, político e cultural para a região Norte do país. É ideal para fazer passeios mais ligados à natureza e conhecer a fauna e a flora locais. Não deixe de fazer trilhas guiadas pelas matas e se encantar com a região. Em 1991 quando a banda A-ha se apresentou no Rock In Rio, os músicos embarcaram para a cidade em busca de algo diferente e inusitado. Essa viagem teve um impacto tão grande na vida do vocalista Morten Harcket, que ele abre sua biografia, lançada em 2017, falando justamente sobre o quanto aquele lugar o modificou como ser humano.

    03. JOÃO PESSOA – PB
    Primavera 04 - João Pessoa PBNão estranhe de ver a cidade de João Pessoa nessa lista. A cidade é muito procurada no período do verão, mas as pessoas precisam descobrir a beleza da cidade durante a primavera. A prefeitura da cidade apostou nas cores e coloriu a cidade com os ipês. Entre setembro e dezembro a cidade ganha tons de amarelo, roxo, rosa e branco, sendo que os ipês amarelos dominam a maior parte. Não tem como não se encantar pelo tapete colorido que as árvores deixam nas ruas. A natureza decorou a cidade de uma das formas mais bonitas possíveis! Não deixe de visitar o Parque Solon de Lucena. Confira outras dicas para João Pessoa que já publicamos anteriormente: https://depassaporte.com.br/blog/para-aproveitar-joao-pessoa/

    04. BRUMADINHO – MG
    Com cerca de 40 mil habitantes, a cidade de Brumadinho ganhou destaque após o rompimento da barragem que inundou a maior parte da cidade com a lama. Dê uma chance de renovar sua visão sobre a cidade e redescobrir um dos locais mais bonitos de Minas Gerais. A cidade fica cerca de 60 Km de Belo Horizonte. Por estar situada numa região montanhosa, a cidade ganha contornos floridos na primavera e os parques da cidade se enchem de vida. Não deixe de visitar os parques Serra da Rola-Moça, o da Moeda, as Veredas do Paraopeba e o Instituto Inhotim, um dos maiores museus a céu aberto da América Latina.

    05. FRAIBURGO – SC
    Primavera 05 - Fraiburgo SCOutra cidade que dificilmente você receberá indicação para visitar. Não porque a cidade não tenha atrativos turísticos, mas porque as pessoas simplesmente desconhecem as maravilhas que a cidade poderá oferecer. Colonizada principalmente por europeus, a cidade desenvolveu sua cultura rodeada pelas culturas italiana e alemã, o que definiu muito do que a cidade se tornou. Durantes os meses de setembro e outubro o visitante será recebido por imensos pomares cobertos de pequenas florzinhas rosas, que futuramente virarão maçãs. Além da temperatura mais amena, esse será o grande atrativo da região. Você poderá visitar, além dos pomares, a cadeia produtiva da produção de champagne, cidras entre outras atrações turísticas da cidade.

    06. JOINVILLE – SC
    Joinville é um dos roteiros turísticos mais indicados em Santa Catarina, seja pela beleza histórica e natural ou pela sua cultura, altamente influenciada pela cultura europeia. Vamos deixar um pouco de lado as indicações culturais e arquitetônicas e concentrar as dicas no turismo rural. Não deixe de visitar a Estrada Bonita, Vale do Quiriri, Estrada Dona Francisca, a Casa Krüger, a Casa Fleith, entre outros locais. A ideia aqui é passear de charrete, passar por estradas onde vendem pães e geleias artesanais, pontes de madeiras sobre riachos rodeados de muito verde e flores, muitas flores!

    07. GRAMADO – RS
    A cidade de Gramado é muito procurada no inverno, mas quem procurar a cidade na primavera não irá se arrepender. Os canteiros ganham cores e tons cinematográficos com flores desabrochando por todos os lados. A estrada que leva o turista de Porto Alegre a Gramado, por exemplo, vira um imenso tapete de cores decorados por pétalas de ipês. Veja mais opções do que fazer em Gramado nesse texto que publicamos anteriormente: https://depassaporte.com.br/blog/gramado-e-canela/

    08. CURITIBA – PR
    No quesito flores e cores, a cidade de Curitiba dispensa apresentações. A cidade é uma das mais festejadas nesse período e costuma aparecer em jornais e na TV. A cidade é bem aprazível, com ruas largas e muito verde. Conta com cerca de 30 jardins botânicos e um dos símbolos da cidade é a Ópera de Arame, que funciona como teatro e palco de shows. Além disso, prometemos que você fará fotos sensacionais para relembrar a viagem.

    09. FOZ DO IGUAÇU – PR
    Primavera 07 - Foz do Iguaçu PRBem, Foz do Iguaçu não é uma cidade que você se encantará apenas na primavera. As cataratas são um espetáculo à parte. Cada ângulo que você olha tem uma paisagem diferente, uma nova maneira de enxergar o mesmo local. Subir de barco pelo rio e chegar bem perto das quedas d’águas é um programa obrigatório para quem passa pela cidade. Só que a primavera tem um diferencial: será mágico observar tudo isso tendo as flores ao redor e milhares de borboletas se misturando aos arcos-íris espalhados pelas cataratas.

    10. CAMPOS DO JORDÃO – SP
    Há 1628 metros de altitude está a cidade de Campos do Jordão, na região da Serra da Mantiqueira. A cidade já é famosa pelo seu clima de montanha e suas temperaturas. Em função do clima da região, as estações são bem definidas, o que torna a cidade um charme em qualquer época do ano. Na primavera os canteiros se enchem de flores e borboletas por todos os lados, deixando o visitante encantado com o clima de paz e tranquilidade que paira no ar. Ideal para uma viagem romântica!

    11. CUNHA – SP
    Primavera 08 - Cunha SPCunha fica na região leste do Estado de São Paulo e não é tão conhecida como Campos do Jordão, por exemplo. Acontece que a cidade, além de ser considerada a terra dos fuscas, é também considerada a cidade das serras. Como se a beleza das serras não fosse suficiente, o local ainda recebe o título oficial entre as 12 cidades paulistas que podem utilizar o título de “Estância climática”. Para receber esse título, o município precisa cumprir alguns pré-requisitos. Mas o que vai te deixar ainda mais encantado na cidade são os enormes campos de lavanda que colorem tudo num lilás inebriante e um perfume que fica pelo ar. Algumas pessoas dizem que lembram da cidade de Provence, na França.

    12. HOLAMBRA – SP
    Para finalizar essa lista de cidades que você deve visitar nessa primavera não poderíamos deixar de falar da cidade de Holambra. A cidade foi povoada por holandeses e por isso a cidade chama Holambra. Trata-se da junção de Holanda “Hol”, América “Am” e Brasil “Bra”. Entendeu que a cidade tem forte influência da cultura europeia, não é? A cidade é o principal polo exportador de flores do Brasil e uma das principais da América Latina. Eventos voltados para a cultura das flores são promovidos durante todo o ano e os campos floridos de todas as cores dominam a paisagem da cidade. Não resista ao romantismo do lugar e renda-se a uma das cidades mais bonitas do Brasil. Visite os campos, observe as estradas, os moinhos, os casarios diferenciados… enfim, floresça!

    Primavera 08 - Holambra SP

    Holambra, SP

     A De Passaporte acredita que viajar é mudar a roupa da alma. Respirar novos ares, conhecer novas pessoas e culturas deveriam fazer parte da rotina mensal das pessoas. Pensando nisso, a De Passaporte mantém um hotsite exclusivo para o turista encontrar passagens aéreas com descontos exclusivos e hospedagens com tarifas reduzidas para vários destinos do Brasil. Acesse nosso hotsite e faça uma pesquisa: depassaporte.com.br/lazer

    dmca-badge-w150-5x1-06

    Deixe seu comentário
  • Visite as cidades relacionadas com a Independência do Brasil

    Indepedência do Brasil 01
    O mês de setembro marca o período de independência do Brasil de Portugal. No dia 07 do mês, as ruas das principais cidades do país são tomadas por desfiles cívicos e militares. Com o fim da guerra na Europa e a consequente derrota de Napoleão Bonaparte, a família real portuguesa partiu do Brasil ruma ao seu país natal, mas antes de partir definitivamente, Dom João VI sabia que o processo de separação do Brasil de Portugal seria inevitável. Alguns historiadores apontam que D. João avisou ao filho D. Pedro I que se a independência não pudesse mais ser suprimida, que ao menos isso ficasse entre a família. Como sabemos, foi D. Pedro I quem proclamou a independência do Brasil.
    Bem, nossa intenção aqui não é explicar detalhadamente o processo de independência do Brasil, até porque o 7 de setembro é apenas uma data simbólica, já que antes do suposto grito às margens do Rio Ipiranga, muitas revoltas surgiram em períodos anteriores ao acontecimento. Dentre essas revoltas, duas se destacam pela importância histórica que ganharam ao longo dos anos. A Inconfidência Mineira, que logo foi suprimida antes mesmo de ser deflagrada e sofreu severas punições da coroa portuguesa em 1789. Nove anos depois, já em 1798, surge a Conjuração Baiana, com mesmo teor separatista, mas que contava com forte apoio popular que incluía escravos, comerciantes e pessoas do povo. O movimento também foi sufocado pela coroa portuguesa e punido de maneira muito violenta. É possível, por exemplo, andar pelas ruas de Salvador que ainda guardam traços desses acontecimentos como a Rua da Forca e a Praça da Piedade, ambas no Centro Antigo da cidade.
    Apesar do 7 de setembro ser a data comemorada em todo o Brasil, a Independência não se deu de forma tão pacífica como a maioria dos livros de História contam. No Nordeste do país a independência veio bem depois, já que as tropas portuguesas tomaram algumas cidades do Nordeste e principalmente a Bahia como ponto de resistência para uma possível retomada do poder por parte de Portugal. Tanto que o 7 de setembro na Bahia não é comemorado com tanto empenho como o 2 de julho. De 1822 até 2 de julho de 1823, Salvador e algumas cidades do Recôncavo Baiano travaram inúmeras batalhas e só assim os Portugueses foram “expulsos” definitivamente, tornando o Brasil independente de Portugal.
    Entre as principais cidades que guardam a riqueza histórica e cultural dessa época, podemos destacar Rio de Janeiro-RJ, São Paulo-SP, Salvador, Cachoeira e Itaparica na Bahia. Já pensou em conhecer os principais locais que estão ligados intimamente com esse período do Brasil?

    Indepedência do Brasil 02

    Paço Imperial, RJ

    RIO DE JANEIRO – RJ
    O Rio de Janeiro era a capital do Reino Unido de Portugal e Algarves, posição ocupada após a vinda da família real. Com isso, o Brasil tinha deixado de ser apenas uma colônia de Portugal. Foram inúmeras modificações estruturais, políticas e culturais na vida da cidade e com isso é possível encontrar inúmeros prédios históricos na cidade que conversam diretamente com a Independência do Brasil. Alguns locais para conhecer na cidade:
    01. O Paço Imperial, que está localizado nas imediações da Praça XV. O prédio colonial serviu como sede do reinado e do império brasileiro e em 1938 foi tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. O prédio é exuberante e desde 1985 abriga um centro cultural, uma cafeteria e uma livraria com um excelente acervo;
    02. O Cais do Valongo é uma redescoberta recente. Em 2011, durante o processo de reforma da região do porto encontraram esse tesouro da nossa
    história. O cais funcionou como uma das principais estradas de escravos no Brasil. Atualmente o espaço foi tombado como Patrimônio Histórico pela UNESCO. Vale muito a visita;
    03. A Quinta da Boa Vista é outro local importante dentro desse período do Brasil. Mudou de nome algumas vezes e abrigou a família real portuguesa. Serviu como sede de governo no período imperial. O Palácio em estilo neoclássico ainda abriga o jardim zoológico da cidade e o Museu Nacional. A cidade ainda oferece uma gama enorme de locais que te farão reviver um pouco da História do Brasil.

    SÃO PAULO – SP
    Bem, São Paulo também guarda um enorme acervo histórico desse período colonial do Brasil. Era para essa cidade que D. Pedro I estava se dirigindo, quando declarou a independência do Brasil. A cidade estava sofrendo alguns rumores de revoltas e D. Pedro I fazia essa viagem com o intuito de acalmar os ânimos. Hoje é possível fazer esse roteiro Rio de Janeiro-São Paulo com todo o conforto e reviver parte de nossa história, sem passar pelos apertos que a comitiva real passou. Veja alguns locais que poderão ser visitados nesse trajeto:

    CIDADES / EXUMACAO CORPOS D PEDRO I/ DATA:26/02/2013 Cripta no Museu do Ipiranga onde estao os restos mortais do Imperador D Pedro I e suas esposas Dona Leopoldina e Dona Amelia. Foto: Zé Carlos Barretta / Hype

    Monumento da Independência, SP

    01. O Parque da Independência abriga pelo menos duas atrações que não podem deixar de serem visitadas: o Monumento da Independência, também conhecido como Altar da Pátria, indica o local exato onde o suporto grito de independência teria ocorrido. A escultura monumental foi construída apenas em 1926 pelo artista Ettore Ximenes em parceria com o arquiteto Manfredo Manfredi. Na cripta acoplada a uma das principais estátuas encontram-se os restos mortais de D. Pedro I, da Imperatriz Leopoldina e da Imperatriz Amélia. O parque ainda conta com uma extensa área verde, o Museu do Ipiranga e a Casa do Grito, com acervos capazes de aprofundar o entendimento sobre esse período do Brasil;
    02. A Praça Patriarca pode não parecer ter muita relação com a história da independência. Ela fica próxima ao Viaduto do Chá e leva o nome de José Bonifácio de Andrade e Silva, uma das principais mentes por trás do processo de independência. Desde 1972 a praça ganhou uma estátua de bronze do José Bonifácio feita por Ceschiatti, o mesmo que esculpiu os anjos da Capela de Brasília;
    03. O Solar da Marquesa de Santos é hoje a sede do Museu da Cidade de São Paulo. Ele pertenceu a Maria Domitila, um dos muitos e principais casos extraconjugais de D. Pedro I. Na época da independência, ele já se relacionava com ela e durante o período que estiveram juntos, ele deu inúmeros presente à amada, assim como essa casa, que pertenceu a ela entre 1834 e 1867 e abrigou inúmeras festas luxuosas da sociedade paulistana da época. Ele inclusive deu o título de Marquesa de Santos a Domitila. É possível encontrar aqui um enorme acervo sobre a trajetória da cidade de São Paulo. Existem outros locais que podem ser visitados na cidade e que poderão enriquecer ainda mais essa experiência histórica.

    Indepedência do Brasil 12

    Panteão de Pirajá, Salvador, BA

    SALVADOR – BA
    Após a declaração de independência, os Portugueses viram na Bahia o ponto necessário para retomar o domínio português sobre o Brasil. Como a cidade de Salvador tinha sido a primeira capital e o local por onde a processo de exploração, ocupação e colonização haviam começado, as forças portuguesas concentraram todos os seus esforços em retomar a cidade. A Bahia foi palco de inúmeras batalhas após o 7 de setembro e a real independência só veio em julho de 1823. As ruas do centro antigo ainda guardam a história viva desse período. A cidade ainda guarda alguns fortes bem conservados e outros que precisam de uma revitalização urgente! Além disso, o casario colonial e os inúmeros prédios históricos fazem da cidade um museu à céu aberto. Entre tantos locais, separamos 03 que você precisa conhecer:
    01. O Panteão de Pirajá ou Panteão ao General Labatut fica no bairro de Pirajá, um dos locais onde houve uma das principais batalhas da independência. O povo soteropolitano precisou fugir das tropas portuguesas e refugiarem-se nas cidades do Recôncavo Baiano, entre elas a cidade de Cachoeira. As forças brasileiras começaram a se fortalecer e sob o comando do General Labatut, quando finalmente invadiram a cidade de Salvador. Quando chegavam em Pirajá as tropas brasileiras viram que as tropas portuguesas eram maiores e a ordem era bater em retirada. Por erro ou não, ao invés do sinalizador tocar a música de retirada, tocou a música de avançar da tropa. As tropas portuguesas ficaram temerosas e começaram a recuar. A batalha foi uma verdadeira carnificina e os brasileiros saíram vitoriosos. O Panteão foi construído em estilo neoclássico para homenagear essa batalha e guarda em seu interior os restos mortais do General Labatut e de outros heróis da guerra da independência. A festa da independência é comemorada em 2 de julho e parte desse ponto para os outros locais da cidade;

    Indepedência do Brasil 13

    Largo da Soledade, Salvador, BA

    02. O Praça da Lapinha e o Largo da Soledade são dois espaços importantes na cidade de Salvador onde a independência do Brasil é lembrada. O Largo da Lapinha possui uma casa onde é guardada a carruagem que leva os símbolos da independência para o desfile. Além disso o largo guarda a Igreja da Lapinha, construída em estilo mourisco em 1771. O outro largo, o da Soledade, guarda uma estátua de uma das heroínas da independência, Maria Quitéria. Conta-se que ela usou um disfarce de homem e se alistou em Cachoeira para lutar. Só foi descoberta quando já estava em campo de batalha, mas lhe foi permitida a permanência.

    03. O Praça 2 de Julho, mais conhecido como Praça do Campo Grande, guarda outras homenagens às figuras históricas da luta da independência. É uma das principais praças de Salvador e é capaz de fazer o turista se encantar pela história de seu país. Até porque muitos brasileiros nem sabem que houve tantas batalhas após o 7 de setembro. Os monumentos que ficam no meio da praça lembram todas as figuras importantes que participaram. Inclusive figuras do povo que foram de extrema importância para chegarmos até aqui. Além da Praça do Campo Grande você poderá visitar outros monumentos importantes bem próximos, entre eles o Forte de São Pedro, onde as forças rebeldes se reuniram para traçar o plano de resistência. Por sinal, há uma avenida em Salvador com o nome de 7 de Setembro, que vai da Praça Castro Alves ao Farol da Barra. Já viu que o caminho é recheado de atrações, não é?

    Indepedência do Brasil 15

    Forte de São Lourenço, Itaparica, BA.

    ILHA DE ITAPARICA – BA
    A Ilha de Itaparica, além das belezas naturais ainda guarda um verdadeiro museu histórico. Ela fica no centro da Baía de Todos os Santos, então as tropas da marinha portuguesa chegaram a saquear o local em uma ocasião, já que além e água potável, a ilha tinha criações de animais e cultivo de frutas e verduras para abastecimento de Salvador. Aqui toda a população se envolveu na guerra pela independência e algumas figuras ganham destaque no imaginário popular. Uma delas é a figura de Maria Felipa, que reuniu um grupo de mulheres e quando as tropas portuguesas desembarcaram elas deram uma surra de cansanção – uma planta típica da região e que deixa a pele com sensação de queimação.
    A cidade possui uma fortificação, o Forte de São Lourenço, construído pelos holandeses e tomado pelos portugueses. Durante as batalhas pela independência o forte teve uma importância estratégica, já que a ilha impedia que muitas embarcações conseguissem entrar na Baía de Todos os Santos e assim chegar a Salvador. Conta-se que a população cavava trincheiras na praia e emboscava os soldados portugueses com foice, facão e o que mais fosse possível utilizar como arma. Os casarões coloniais, o forte, os canhões centenários espalhados pela cidade e as ruas de pedras fazem parte disso. Se estiver em Salvador, não deixe de visitar também a ilha e completar esse roteiro.

    Indepedência do Brasil 17

    Entrada da Cidade de Cachoeira, BA

    CACHOEIRA – BA
    Situada cerca de 120 Km de Salvador e uma das cidades mais importantes no processo de independência, Cachoeira carrega o título de “Cidade heróica”. A cidade funcionou como ponto estratégico para as pessoas que fugiram de Salvador, após o domínio das tropas lusitanas. Ainda em 1822, antes mesmo da proclamação da república, D. Pedro I reuniu-se na cidade para traçar os planos para a independência do Brasil.
    Após ser bombardeada em 1823 pelas tropas portuguesas, todo o povo da cidade que incluía comerciantes, senhores de engenhos e escravos entraram na luta armada. A cidade atraiu pessoas de todo a Bahia que se alistavam para entrar na luta e com isso conseguiu reunir um exército de 13 mil soldados, entre elas, Maria Quitéria, que citamos anteriormente.
    A derradeira batalha na cidade durou 3 dias e os brasileiros finalmente conseguiram expulsar os portugueses. As tropas brasileiras saíram de Cachoeira em direção a Salvador, quando finalmente expulsam de vez as tropas portuguesas na Batalha de Pirajá.
    A cidade guarda um imenso tesouro arquitetônico e cultural e ao longo dos anos tornou-se um dos maiores polos de cultura da Bahia. Visando reconhecer essa importância histórica, desde 2007 que a capital da Bahia é transferida para Cachoeira entre os dias 25 de junho e 02 de julho, quando efetivamente a comemoração da independência ganha toda  pompa que o 7 de setembro não tem, pelo menos na Bahia.
    Não deixe de visitar a cidade com o olhar histórico. A história está presente em cada rua, em cada praça, em cada canhão espalhado pela cidade e pelas casas coloniais.

    Pensando nesse período em que o Brasil mergulha na festa da independência, a De Passaporte resolveu dar algumas dicas de cidades onde você poderá encontrar fortes traços históricos relacionados ao período. Mergulhe na história do seu país fazendo viagens com um olhar mais histórico. Visite os museus de cada cidade que passar. Você pode acessar nosso hotsite e fazer uma pesquisa de passagens aéreas e hospedagens com tarifas reduzidas: depassaporte.com.br/lazer

    dmca-badge-w150-5x1-06

    Deixe seu comentário
  • O folclore na aviação

    De Passaporte - Folclore 05

    O mês de agosto marca a comemoração do folclore brasileiro. Um período importante dentro da cultura nacional, já que reúne elementos de diferentes culturas formadoras da identidade, principalmente a portuguesa, a indígena e a africana. É uma junção de lendas, contos mitos e histórias sobre criaturas ou seres fantásticos que povoam a mente e o imaginário popular. A data específica é 22 de agosto, mas pensando nessas lendas que povoam o imaginário popular, resolvemos listar 10 lendas ou mitos que povoam a mentes de algumas pessoas que viajam de avião.

    10 mitos mais comuns sobre voar de avião

    01. Viajar de avião não é seguro
    Apesar das pessoas alimentarem um medo incontrolável em viagens, o avião é um dos meios de transportes mais seguros que utilizamos. É comprovado, estatisticamente, que a possibilidade de um acidente fatal é de 1 em 8 milhões! Então perca esse medo, porque a tecnologia de uma aeronave é extremamente complexa. Os sistemas de segurança são bem completos e os pilotos passam por horas e horas de treinamento. Outro fator que lhe dará mais segurança é que as leis que cercam a aviação comercial são bem rígidas. Apenas relaxe.

    02. Uso de celular e eletrônicos podem derrubar um avião
    De Passaporte - Folclore 03
    Esse foi outro mito criado ao longo dos anos e que algumas pessoas ainda perpetuam. Efetivamente não há nenhum registro ou comprovação de que um avião já tenho caído por esse motivo, mas eles podem interferir na comunicação da cabine de comando. Um relatório de 2014 da Agência Europeia para a Segurança da Aviação, apontava que esse tipo de equipamento não representa risco para os aviões e que cabe a companhia aérea decidir pelo uso ou não desses aparelhos durante o voo. Utilize sempre de bom senso e pergunte a algum tripulante se será possível utilizar seu aparelho.

    03. A qualidade interna do ar da aeronave é ruim
    Alguns costuma dizer que a qualidade do ar num avião é péssima e que a quantidade de bactérias é superior ao normal. Isso é uma grande falácia. O ar no interior da aeronave é muito limpo, pois ele circula da frente para a parte traseira da aeronave e, dali, vai para a parte de baixo da fuselagem, onde passa por filtros bem parecidos com o que existem em hospitais. Aí ele é filtrado e se mistura com ar externo que é captado pelas hélices. Com esse processo, o ar é trocado a cada 3 minutos eliminando 95% das bactérias existentes. Pode respirar sem preocupação.

    04. O vaso sanitário pode sugar
    Vasos sanitários de aviões usam o sistema de sucção e o som alto desse tipo de sistema pode assustar um pouco, mas nada que te faça ficar apertado (a). Há um sistema de válvulas que se abrem e fecham no momento em que a descarga é acionada. Os dejetos são jogados no reservatório específico até que a aeronave pouse para fazer uma limpeza.
    É quase impossível que uma pessoa fique presa no vaso, já que pra isso ela teria que dar descarga enquanto estivesse sentada. Além disso a pessoa precisaria estar perfeitamente sentada de forma que houvesse uma vedação. O mais indicado é nunca dar descarga enquanto estiver sentado (a).

    05. Aviões jogam dejetos humanos no ar
    Outra mentira que se perpetuou por muitos anos. Não, os aviões não jogam os dejetos em pleno ar. As aeronaves possuem reservatórios que armazenam esse material e logo que pousam no aeroporto esse compartimento é retirado e descartado de forma adequada. Em viagens intercontinentais é comum os aviões possuírem 2 compartimentos desse tipo, então eles nunca despejam os dejetos em pleno ar.

    06. Voos longos fazem mal à saúde
    De Passaporte - Folclore 04
    Outro mito que circula sobre esse tipo de viagem e que não faz sentido. Existe um cansaço normal quando o ser humano fica muito tempo em uma posição. O ideal é levantar um pouco e andar no corredor da aeronave. Enquanto estiver sentada (o) fazer alguns movimentos para ajudar a ativar a musculatura e a circulação sanguínea. Caso a pessoa já tenha algum problema de saúde, é bom fazer um check up com o médico um pouco antes.

    07. As portas do avião podem abrir durante o voo
    Filmes sobre desastres aéreos ajudaram a disseminar esse mito ao longo dos anos. A pressurização que há no interior da aeronave impede que a porta seja aberta, pois isso só pode acontecer quando a pressão interna e pressão externa forem iguais. A pressurização é para evitar esse tipo de acontecimento e evitar que os passageiros fiquem sem ar. Outra coisa que é impossível de acontecer é algum passageiro abrir a porta enquanto o avião estiver no ar. A pressurização exigirá uma força sobre humana para que isso aconteça.

    08. Ficar preso no banheiro
    Algumas pessoas entram em pânico só de imaginar que podem ficar presas no banheiro do avião. Isso é muito difícil de acontecer, mas caso ocorra, a porta possui um sistema externo que possibilita a abertura pela tripulação. Atrás da informação sobre ser proibido fumar existe um mecanismo de conhecimento da tripulação, mas que só pode ser usado em caso de emergência.

    09. O assento do avião vira uma boia
    Sim, essa é uma verdade máxima dentro da aviação comercial. Se por algum motivo o piloto precisar fazer um pouso forçado no mar, você poderá usar a poltrona como boia. Ele suporta um peso de até 100 Kg e você poderá aguardar até que seja feito o resgate.

    10. Viagem de avião é só para ricos
    De Passaporte - Folclore 06
    Digamos que no Brasil isso já chegou a ser uma verdade. Voos comerciais eram caros e dispendiosos, mas os últimos 20 anos trouxeram uma considerável redução em preços de passagens aéreas, o que possibilitou que pessoas de todas as classes sociais pudessem viajar.
    Além disso, hoje em dia quase todo mundo tem um cartão de crédito. Isso permite, por exemplo, que as pessoas possam parcelar suas viagens sem comprometer muito o orçamento.
    Para alguns locais está mais barato viajar de avião que de ônibus e a tendência mundial é que os preços caiam ainda mais.

    A De Passaporte é uma agência que aposta na desmistificação de tantas lendas que cercam a aviação comercial. É possível comprar passagens aéreas com descontos incríveis e realizar o sonho de voar. Vamos deixar as lendas apenas para alimentar o rico folclore brasileiro.
    Acesse nosso hotsite e faça uma pesquisa: https://www.depassaporte.com.br/
    Você não pode criar asas, mas pode ganhar o céu!

    dmca-badge-w150-5x1-06

    Deixe seu comentário
  • Aproveite o inverno em Gramado e Canela

    É chegado o inverno e com ele aquelas temperaturas mais amenas, afinal o Brasil é um país tropical e a oscilação da temperatura não é tão grande. Em geral, coincide também com as férias escolares de julho da maior parte do país, já que nas regiões Norte o Nordeste essas férias ocorrem no mês de junho, quando coincide com as festas juninas.
    Uma das regiões onde é possível encontrar aquele típico clima frio de inverno é a região sul do país. Lá é possível usar todas aquelas roupas estilosas que você guarda para ocasiões como essa, fazer aquele programa em família ou casal, aquele passeio com os amigos, brincar na neve, comer comidas típicas da região e curtir o clima aconchegante que essa estação traz.
    Pensando nisso, resolvemos dar dicas de duas cidades gaúchas que são a representação máxima desse clima frio, nesse período: Gramado e Canela.

    Gramado e Canela 02

    06 coisas que você não pode deixar de fazer em Gramado

    Gramado é uma cidade relativamente pequena e que conta com cerca de 35 mil habitantes. É um local para visitar durante todo o ano. O natal, por exemplo, é muito famoso, mas você não encontrará esse frio nesse período. O ideal é saber que tipo de atrações você quer ver e organizar a viagem para o período desejado. O período entre a primavera e o verão é bem florido. Se a intenção é curtir o friozinho da serra, o ideal é ir mesmo no inverno. O aeroporto mais próximo de Gramado é o de Caxias do Sul, mas por questões comerciais e disponibilidade de voos, é recomendado utilizar o aeroporto de Porto Alegre. A distância entre o aeroporto e a cidade gira em torno de 115 Km e no próprio aeroporto já é possível tomar uma condução até a cidade, pois existem algumas agências que fazem esse trajeto. Chegando lá, separamos alguns locais para curtir a cidade.

    01. VISITE O LAGO NEGRO DE GRAMADO
    Antigamente o Lago Negro chamava-se Vale do Bom Retiro e pertencia a uma tradicional família da região, mas em 1942 um trágico incêndio que durou oito dias devastou boa parte da vegetação local. Para impedir que o fogo atingisse outras áreas, o administrador, juntamente com outros moradores abriram uma fenda e um pequeno riacho preencheu o espaço, originando o lago. Para preencher a lacuna que o fogo tinha deixado na floresta, ele importou da Alemanha (seu país de origem), mudas da Floresta Negra como pinheiros, hortênsias e azaleias. Essa combinação deu um ar europeu ao local e encanta quem passa por lá. As hortênsias azuis são comuns no período do verão e as azaleias são comuns no período do inverno. O lago escuro reflete a bela paisagem que o rodeia com seus pinheiros exuberantes. Ideal para visitar com a família, o par ou até mesmo as crianças. Os pedalinhos em formato de cisne dão um ar bucólico e tranquilo ao lugar.

    Gramado e Canela 06 - Mini Mundo

    Parque Mini Mundo.

    02. FAÇA UM PASSEIO PELO MINI MUNDO
    O museu Mini Mundo nasceu do amor de um pai e um avô pelas crianças da casa há mais de 30 anos. Eles construíram uma casa de boneca para a menina e um castelo com trenzinho para o menino. De lá pra cá a coisa foi ganhando corpo e hoje é um dos locais mais visitados de Gramado. O local reflete pontos turísticos da Europa e do Brasil em miniaturas 24 vezes menor que a original. O que espanta são os detalhes que constam nas construções. Além disso, é possível observar cenas do cotidiano como a eleição de um prefeito, as pessoas andando nas ruas, as crianças brincando nos parques, etc. O espaço fica em frente ao hotel Ritta Höppner e quem está hospedado especificamente nesse hotel não precisa pagar o ingresso.

    03. FAÇA UMA VISITA AO GRAMADO ZOO
    É um pouco diferente dos zoológicos brasileiros. Aqui a maior parte dos animais foram resgatados e vivem num grande viveiro, que emula seu habitat natural. Aqui a experiência será um pouco diferente e é um programa perfeito para fazer em família. O espaço é todo calçado e o visitante percorre cerca de 1,8 Km tendo contato com animas da fauna brasileira como lobo-guará, puma, jaguatirica, onças da amazônia e do pantanal, emas, antas, araras, tucanos, porco-espinho, gato do mato, bugios e muito mais. Aqui você pode comprar ração para alimentar os animais e é o tipo de experiência que as crianças adoram.

    Gramado e Canela 07 - Snowland

    Parque Snowland.

    04. VISITE O PARQUE SNOWLAND
    Esse é um parque temático totalmente fechado onde a experiência do visitante será ligada a neve. Inaugurado em 2013 é o primeiro parque de neve indoor da América Latina, aqui é possível esquiar, descer da montanha deslizando em boias, etc. Na montanha a temperatura é muito baixa, podendo chegar a temperaturas negativas, mas o visitante não precisa ficar preocupado, pois o parque oferece roupas de frio para a experiência ser completa.

    05. FAÇA UMA VISITA A RUA COBERTA
    Originalmente chamada de Rua Madre Verônica, ela é mais conhecida como Rua Coberta por causa da cobertura com plantas suspensas e toda a iluminação cênica do local. Um espaço ideal para ir à noite e comer alguma coisa, beber um vinho, experimentar o foundee sob o frio da região.

    06. ANDE PELA CIDADE
    O que encanta em Gramado é a arquitetura, portanto, ande o máximo que você puder. Existem poucos táxis e em períodos em que a cidade estiver mais cheia será bem difícil encontrar um. Se você estiver hospedado pelo centro, não terá dificuldade de se locomover e além disso, alguns locais oferecem transporte gratuito, você só precisa pegar informação no lugar que estiver. Durante esse passeio visite a Igreja São Pedro, faça uma compras na Avenida Borges de Medeiros, visite o Palácio dos Festivais, onde acontece o Festival de Cinema de Gramado, visite o Parque Le Jardin e tome um chá ou café, viste o Parque das Etnias e as diversas fábricas de chocolates artesanais. Você não vai se arrepender.

    Gramado e Canela 04

    Cachoeira do Caracol, Canela.

    06 coisas que você não pode deixar de fazer em Canela

    A cidade de Canela é outro ponto que o visitante deve considerar numa viagem pelo sul do país. Em geral as pessoas se hospedam mais em Gramado, mas a cidade de Canela também tem um charme sem igual. Ela fica a apenas 7 Km de Gramado e a 141 Km de Porto Alegre. Com uma população de pouco mais de 40 mil habitantes a cidade não é uma extensão de Gramado, como algumas pessoas costumam tratar. Aqui é possível fazer programas ao ar livre e com a vantagem de pagar um pouco menos. O visitante poderá optar por programas como escalada, rapel, arvorismo e etc. Em termos de arquitetura, o visitante irá encontrar algo muito parecido com o que se encontra em Gramado e com todo o conforto que se tem direito.

    01. VISITE O PARQUE E A CASCATA DO CARACOL
    A famosa Cascata do caracol é um dos maiores pontos turísticos da cidade e atrai os amantes da natureza. Uma queda d’água de 120 metros emoldurada por rochas e uma mata extremamente verde. Além disso, o visitante poderá descer até o pé da cachoeira por uma escada de 934 degraus. Nada que pequenas paradas para contemplação não ajudem a subir de volta. Entre a mata extremamente preservada é possível encontrar trilhas onde o contato com a natureza será ainda mais intenso. O parque ainda conta com toda a infraestrutura de banheiros, churrasqueiras, mesas, lojas de artesanato, etc.
    Outro atrativo do parque é o Observatório. Uma torre com 30 metros de altura e um elevador panorâmico, onde será possível ver todo o ambiente e a Cascata do Caracol. Não deixe de aproveitar também o trenzinho que há dentro do parque e que leva os passageiros até a Vila dos Imigrantes. Você vai entender um pouco mais sobre o processo civilizatório daquela região.

    02. PASSEIE PELOS BONDINHOS AÉREOS DO PARQUE DA SERRA
    O parque fica dentro de uma área preservada e lá dentro você pode pegar o famoso bondinho e ver toda a beleza de cima. O visitante tem a opção de desembarcar em duas estações. Na primeira o visitante chegará a um espaço chamado “Esculturas que Falam” e a um mirante superior. Na segunda parada o visitante ficará num local onde tem acesso a um mirante que fica de frente para a Cascata do Caracol e para o Vale da Lageana. Acredite, você fará fotos inacreditáveis!

    Gramado e Canela 05 - Parque da Ferradura

    Parque da Ferradura.

    03. VISITE OS MIRANTES DO PARQUE DA FERRADURA
    Esse parque se destaca pelos seus 3 mirantes que oferecem uma vista deslumbrante para o visitante. Um desses mirantes tem vista para o Rio Caí que em uma de suas curvas forma uma ferradura, o que dá nome ao parque. É possível encontrar trilhas de 10 minutos a 3 horas de caminhada e toda a estrutura como lancheiras, playground, churrasqueiras, etc. O parque fica a 13 Km do centro da cidade e permite um intenso contato com a natureza.

    04. VISITE O CASTELINHO CARACOL
    O Castelinho foi uma das primeiras residências de Canela e foi todo construído em madeira de araucária, com sistema de encaixes e parafusos, sem uso de um  único prego. Em seu interior são abrigados móveis e utensílios da primeira família que morou na casa e que levam o visitante a uma viagem ao passado. Ah, não deixe de experimentar os chás que são servidos na casa.

    05. VISITE O VALE DOS DINOSSAUROS
    Esse parque foi inspirado no filme Jurassic Park. Logo na entrada o visitante já fica impressionado com o tiranossauro que é visto da portaria. Você pega um ônibus e circula pelo parque vendo várias espécies de dinossauros em movimentos. O parque tem 35.000 m² e fará você se sentir parte do filme. A empresa que cuida desse parque é dona de alguns outros em Gramado, então se você for visita-lo sai mais barato comprar o pacote para todos os parques, que inclui o DreamLand Museu de Cera, o Hollywood Dream Cars, Super Carros Gramado e o Museu Bar Harley Davidson.

    06. VISITE A CATEDRAL DE PEDRA DE CANELA
    Gramado e Canela 03
    A catedral começou a ser construída em 1953 e manteve seu processo construtivo até a primeira metade da década de 80. Em estilo gótico, ela é toda revestida de pedra basalto e sua torre de 65 metros pode ser vista de vários pontos da cidade. É realmente uma construção linda e imponente. Em 2010 ela foi eleita pelo portal Terra uma das 7 maravilhas do Brasil e desde então ganhou iluminação cênica que a transforma num dos pontos mais bonitos da cidade. Em seu interior ainda é possível encontrar dezenas de obras de arte.

    Aproveite o inverno e tudo que o frio pode trazer de diversão. Não é só no verão que devemos nos divertir, pois Gramado e Canela podem ser visitadas durante todo o ano e trazendo diferentes experiências. Demos apenas algumas opções de passeios que podem ser feitos nas duas cidades, mas elas oferecem muito mais!
    A De Passaporte possui um hotsite onde você poderá comprar passagens aéreas e hospedagens com tarifas reduzidas, mesmo que não seja para evento. Aproveite as férias de junho e vá conhecer um pouco do que essas cidades do sul do país podem oferecer. Acesse nosso hotsite e faça uma pesquisa: depassaporte.com.br/lazer
    Você não vai se arrepender!

    dmca-badge-w150-5x1-06

    Deixe seu comentário
  • A Bahia foi eleita o melhor estado turísticos do Brasil

    Em matéria publicada no último dia 25 de maio de 2019, o jornalista Roberto de Oliveira, na Folha de São Paulo, não poupou elogios à Bahia, já que através de pesquisa, o estado nordestino foi eleito a melhor opção de viagem dentro do Brasil. Isso se deve, principalmente, à diversidade cultural, natural e histórica que a região conseguiu preservar. Esse carinho que a Bahia recebeu da Folha não foi novo, já que repetiu-se pela segunda vez no ano. Ainda no início de 2019, o The New York Times colocou a cidade de Salvador na lista dos 52 lugares a se visitar no ano de 2019. Já tínhamos publicado algumas matérias sobre os encantos da Bahia em nosso blog, principalmente sobre a capital soteropolitana, onde damos dicas do que fazer, se você é um turista e ainda damos dicas alternativas de programas similares que só os baianos fazem. Confira aqui: depassaporte.com.br/blog/o-que-fazer-em-salvador/
    Outra dica que já tínhamos dado em nosso blog sobre a Bahia foi sobre a região da Chapada Diamantina, onde explicamos ao turista como começar a explorar o imenso oásis natural que fica no coração do Estado. Explicamos como chegar ao local e coisas para não deixar de fazer. Confira aqui: depassaporte.com.br/blog/descubra-os-encantos-da-chapada-diamantina/. Agora confira a matéria publicada na Folha de São Paulo:

    Salvador 02

    Bahia é eleita melhor estado turístico em pesquisa Datafolha; Chapada Diamantina, Porto Seguro e Salvador são destaques

    “Tudo, tudo na Bahia a gente querer bem”, dizem os versos de uma canção de Caetano Veloso. O ilustre filho da terra não poderia ter sido mais preciso, haja vista o fluxo constante de turistas que visitam a região.
    Segundo o Datafolha, o estado continua entre as primeiras opções de viagem dos paulistanos. Com aproximadamente 1.100 km de extensão litorânea e praias para todos os gostos –selvagens, urbanas, sombreadas por mata atlântica, repletas de piscinas naturais–, a Bahia é sempre uma boa pedida.
    Ali a natureza não economizou beleza: que o diga quem já visitou a chapada Diamantina, uma das mais conhecidas formações geográficas desse tipo no país, que fica no coração do estado. São serras, rios e vegetação abundante a encher os olhos de quem busca o contato íntimo com a natureza.
    A capital, Salvador, foi a única cidade brasileira indicada em 2019 como “lugar a conhecer” na aguardada lista publicada pelo jornal The New York Times. Gente do mundo todo quer conhecer esse pedaço do Brasil. Caetano tem mesmo razão: “A Bahia tem um jeito”…

    SALVADOR
    Está em transformação: da orla da Barra ao centro histórico, uma série de iniciativas vem repaginando a capital baiana. O bairro de Santo Antônio Além do Carmo, situado depois da subida da ladeira do Carmo, é um exemplo do que poderia ser feito em toda a região do Pelourinho. Ali, uma sucessão de casarões coloridos vai se desenhando e conduz o visitante num ambiente no qual o presente parece ter feito as pazes com o passado.
    Charmosas pousadas e ateliês de arte dão movimento às ruas de pedra que guardam as lembranças de outros tempos. Não faltam simpáticos cafés e restaurantes, onde se pode comer apreciando uma vista panorâmica da Baía de Todos-os-Santos.
    No Pelourinho, uma das experiências mais ricas e emocionantes é assistir à missa sincrética na igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, cuja celebração é feita com instrumentos de origem africana. Depois dela, o passeio pelas ruas de paralelepípedo em meio às fachadas coloniais coloridas ganha ainda mais graça. Os olhos se enchem em meio à atmosfera histórica e à rica mistura de cores, sabores e raças tão cara à Bahia.

    CHAPADA DIAMANTINA
    A mais conhecida entre as chapadas brasileira, Diamantina fica no coração da Bahia. Uma jeito criativo de mergulhar em seus inúmeros encantos é fazer um dos inúmeros trajetos que cortam o vale do Pati.
    Calcula-se que existam cerca de 35 trilhas, abertas desde o século 19 por garimpeiros, caçadores e tropeiros. O trekking no vale do Pati é considerado por guias tanto daqui como de fora como o mais belo do Brasil. O terreno é bem diversificado. Sobe aqui, desce ali. Caminha-se sobre areia, terra e pedras, muitas e variadas.
    Chapada Diamantina, Vale do Capão, Erick Rabello 11Córregos, rios e corredeiras pipocam por todo canto. Bromélias, sempre-vivas, cactos e orquídeas vão colorindo o trajeto. Dona de uma flora riquíssima, a chapada fica em uma região de transição de biomas: abrange áreas de cerrado, caatinga, mata atlântica e campos rupestres. Entre um passo e outro, pausa para apreciar a sinfonia orquestrada pela queda da água e a cantoria de diferentes pássaros.

    LITORAL NORTE
    O estado esbanja diversidade por sua costa. A dica aqui é alugar um carro em Salvador e ir subindo em direção a Sergipe, parando onde lhe der na telha, até alcançar a praia repleta de dunas de Mangue Seco.
    A parte mais conhecida desse trecho é a praia do Forte. Localizada a cerca de 50 km da capital, a praia é oferece boa estruturada, com oferta generosa de pousadas e resorts.
    Com faixa de areia clara, alguns trechos rochosos e muitos coqueiros, a orla do Forte se estende por 14 km. Foi ali que nasceu o Projeto Tamar, que estuda e protege as tartarugas marinhas, animais ameaçados. Assim como o Forte, a praia vizinha, Imbassaí, pertence ao município de Mata de São João.
    Imbassaí, porém, é mais tranquila, ainda preserva alguns trechos da exploração imobiliária nesse trecho da chamada Linha Verde, rodovia que liga o litoral norte da Bahia a Sergipe. Em tupi, Imbassaí quer dizer “caminho do rio”. Boa definição dos índios, porque ali são muitas as passagens encontradas pela natureza para desembocar sua água doce no mar. Ela escorre em cascatas e corredeiras, paralelas às dunas.
    A melhor opção de hospedagem é o gigantesco Grand Palladium Resort & Spa, que ainda conserva um clima de sossego tipicamente baiano.

    LITORAL SUL
    A região consegue ser mais rica na oferta e na diversidade de praias do que o lado norte. Quer agito? Mire para Porto Seguro. Cansou? Atravesse o rio de balsa e siga para Arraial d’Ajuda. Luxo? Trancoso vem na sequência. Se pretende mergulhar num clima de vilinha, a escolhe recai sobre Caraíva. Agora, paraíso, mesmo, você encontra na Ponta do Corumbau, onde um corredor de areia, que pode se estender por mais de 1 km, separa o mar tipo Caribe de um lado do mar com ondas e o Monte Pascoal do outro. E olha que ainda tem as praias cobertas de vegetação de mata atlântica em Itacaré e as piscinas naturais de Taipu de Fora, localizada na península de Maraú.

    COSTA DO CACAU
    Em meio às tentativas de sobrevivência, as florestas de cacau continuam a manchar de verde as margens das rodovias que cortam esse trecho do sul baiano. Viajar pelas estradas da região de Ilhéus é passear por uma grande área circundada de mata atlântica.
    A gente olha dos dois lados do caminho e parece mato puro. Mas o que aquela imensidão verde esconde é o “cacau cabruca”, um sistema de plantio sob a sombra de espécies da mata como pau-brasil, jequitibá e jacarandá. “Cabruca” é uma corruptela de “cabrocar”, ou seja, furar, retirar, abrir.
    As árvores menores foram cortadas para o plantio, preservando as maiores, donas do sombreamento. Foi em Ilhéus que se deu, do fim do século 19 às primeiras décadas do século 20, o período de constituição da economia cacaueira. Agora, o cacau atravessa mais um ciclo; desta vez, voltado para o turismo e o mercado gourmet, com novos subprodutos.
    Ali, nos arredores de Ilhéus, vale a pena passar pela pequenina e simpática Ibirataia, com pouco mais de 15 mil habitantes, onde fica o restaurante Espaço Beija-Flor, que mantém produção orgânica, criadouro de peixes e um menu elaborado com pratos da cozinha brasileira e internacional, sempre com a presença do ingrediente que deu fama à região.
    Que ainda tem as praias cobertas de vegetação de mata atlântica em Itacaré e as piscinas naturais de Taipu de Fora, localizada na península de Maraú, dona de 50 km de litoral, na chamada Costa do Dendê.
    Sim, a Bahia é um país!

    *Matéria publicada originalmente na Folha de São Paulo em 25 de maio de 2019.

    A Bahia tem uma coisa que fica até difícil colocar em palavras. Aproveita que você já tem uma ideia do que pode encontrar e confere nossas promoções em passagens aéreas e hospedagens e vá conhecer a Bahia. Como já disse Dorival Caymmi “Você já foi a Bahia, nêga? Não? Então vá…” Clique aqui e confira nossas promoções: depassaporte.com.br/lazer

    Deixe seu comentário
  • O maior evento na área de petróleo e gás do país acontece em junho

    A indústria de petróleo e gás sofreu um boom econômico com a descoberta do petróleo pré sal, uma faixa de combustível encontrada nos limites marinhos brasileiros e que fica situado a 8 mil metros abaixo da lâmina d’água. Essa descoberta, feita durante a gestão do então presidente Luís Inácio Lula da Silva, colocou o Brasil numa posição de destaque no cenário mundial, tornando o país um dos principais produtores de combustíveis fósseis do planeta.

    Brasil Offshore mostra a importância do Brasil no cenário mundial

    Brasil Offshore - Plataforma P52

    Um dos eventos que se destaca nessa área é o Brasil Offshore. A Reed Exhibitions é a organizadora de eventos em várias partes do mundo como Glasgow (Escócia), Londres (Inglaterra), Xangai (China), Osaka (Japão), Paris (França), Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos) e San Diego (EUA). Só no Brasil são feitos 4 eventos no ano para movimentar a economia e gerar novos negócios: a Fenasucro e Agrocana (em Sertãozinho – SP), a FIEE Smart Future / FIEE Smart Energy (São Paulo – SP), a Santos Offshore (Santos – São Paulo) e a Brasil Offshore (Macaé – Rio de Janeiro).

    A feira Brasil Offshore talvez seja uma das mais importantes por ter uma abrangência nacional. Ela é voltada para a cadeia de extração e produção de petróleo e gás e foi criada justamente para gerar essa integração entre a cadeia produtora e fornecedora. Em 2019 acontece a sua 10ª edição e completa 20 anos. Como o país passa por um período de expectativa de retomada de crescimento econômico, a expectativa em cima da edição é enorme. A cidade Macaé no Rio de Janeiro é quem irá sediar a edição, que acontece entre os dias 25 e 28 de junho de 2019 no Centro de Convenções Roberto Marinho.

    A agência de turismo De Passaporte preparou uma campanha que inclui passagens aéreas e hospedagens com tarifas reduzidas para o período do evento. Acesse o link e veja as vantagens oferecidas: depassaporte.com.br/brasiloffshore

    Deixe seu comentário
  • Lollapalooza: um motor para música alternativa

    O Lollapalooza foi um dos maiores festivais de música alternativa surgido no início dos anos 90. Ele funcionou como um motor para a cena musical que fervilhava naquele início de década e colocou algumas bandas alternativas de cara com a música pop global.

    Origem, queda e renascimento do maior festival de música alternativa do planeta

    Lollapalooza 2

    O Festival Lollapalooza começou a ser idealizado ainda em 1990, quando o líder da banda Jane’s Addiction, Perry Farrel, estava programando uma turnê itinerante para a despedida do grupo. Inicialmente, a ideia era que o festival servisse de palco para a banda de Farrel e ainda apresentasse novas bandas como uma forma de apoiar a cena alternativa americana. O termo Lolapalooza vem dos séculos XIX e XX, de uma expressão americana que significa “uma extraordinária ou incomum coisa, pessoa, ou evento; um exemplo excepcional ou circunstância”.
    Em 1991 o festival finalmente saiu do papel e percorreu os Estados Unidos. Nessa época o festival só contava com um palco e ainda não tinha expandido a ideia de festival com forte influência política e cultural.
    Principais atrações de 1991: Jane’s Addiction, Siouxsie and the Banshees, Living Colour, Nine Inch Nails, Violent Femmes, Fishbone, Ice T & Body Count, Butthole Surfers, Rollins Band, entre outros.
    O ano de 1992 foi marcado pelo crescimento do festival. O que era para ser uma turnê de despedida do Jane’s Addiction, ganhou contornos gigantescos. Mais um palco foi adicionado, criaram-se mesas redondas para discutir política e muitas atividades culturais foram acrescentadas ao festival. Vale lembrar que nesse período, discos, até então alternativos, como Nevermind, do Nirvana, haviam tomado as paradas de música de assalto e o rock alternativo via seu grande momento acontecer.
    Principais atrações de 1992: Red Hot Chili Peppers, Alice In Chains, Smashing Pumpkins, Soundgarden, Rage Against The Machine, Ice Cube, Pearl Jam, Porno For Pyros (a nova banda de Perry Farrel), Stone Temple Pilots, entre outras.
    As edições de 1993, 1994 e 1995 seguiram a tendência que a versão de 1993 tinha apresentado. Cada vez mais engajamento político, cada vez mais datas e um conteúdo cultural que movimentava a comunidade de música pop mundial. Artistas fizeram seus nomes apresentando shows históricos.
    Principais atrações que passaram pelos palcos dessas edições:
    Smashing Pumpkins, Beastie Boys, George Clinton, The Breeders, L7, Green Day, The Verve, The Black Crowes, Cypress Hill, Sonic Youth, Hole, Beck, Elastica, Patti Smith, entre outros.
    A edição de 1996 atingiu seu ápice com 2 palcos principais e um palco onde apresentava bandas ainda mais alternativas e bandas locais. Uma estrutura gigantesca que percorria todo o território americano e ainda passava por algumas cidades do Canadá. Mas em 1997, Perry Farrel passou a se desentender com outros sócios do festival, por não concordar que uma banda como o Metallica, que já tinha um histórico de declarações machistas, participasse do festival. Para Farrel, isso ia de encontro a todo o histórico que o festival havia criado. O festival encerrou as atividades, já que em 1998, muitas bandas se recusavam a tocar e a produção teve dificuldade de montar um lineup que atendesse os fãs.
    O festival só retornaria em 2003, já com um novo pensamento. O conceito do que era música alternativa ou música mainstream já não era tão visível. Bandas que haviam tocado nas primeiras edições ocupavam os postos de paradas musicais no mundo todo, mesmo considerando-se alternativas. O festival abriu-se para bandas maiores e em 2010 começou a sua expansão pelo mundo.

    Quando brasileiros começarem a reclamar que não conhecem as atrações que tocam nessa edição brasileira de 2019, conte para eles sobre a gene embrionária do festival que sempre primou por artistas menos conhecidos. O Lollapalooza é o tipo de festival que funciona muito bem para conhecer novos artistas e verificar tendências. O Lollapalooza Brasil 2020 ocorre de 03 a 05 de abril, no Autódromo de Interlagos – São Paulo e conta com nomes como Travis Scott, The Stokes, Lana Del Rey, Gwen Stefany, Pablo Vittar, Emicida, Djonga, Silva, além dos gigantes do Guns N’ Roses.
    A agência de turismo De Passaporte preparou uma campanha especial para atender os fãs de todo o Brasil. São passagens aéreas e hospedagens com tarifas reduzidas para o período do evento, para que ninguém fique de fora.
    Clique aqui e confira as vantagens preparadas para o evento: depassaporte.com.br/lollapaloozabr

    dmca-badge-w150-5x1-06

    Deixe seu comentário
  • O que fazer em Fortaleza

    Está indo para Fortaleza – CE ou pensando em visitar a capital cearense? A cidade é a 5ª maior do Brasil e a primeira do Estado do Ceará. Nascida às margens do Oceano Atlântico, a cidade tem uma função estratégica importante. Como é a cidade mais próxima da Europa, boa parte dos cabos submarinos para comunicação do Brasil com o resto do mundo, chegam por Fortaleza, o que a torna um precioso tesouro da Região Nordeste. Mas isso é só uma mera curiosidade, visto o que queremos falar com você. Preparamos algumas dicas para você desfrutar da melhor maneira o que fazer em Fortaleza.

    Fortaleza, uma cidade banhada pelo sol e pelo mar

    Fortaleza 2

    AS PRAIAS
    Bem, não tem como falar de Fortaleza e não associá-la ao sol e as praias. Uma dica importante é conhecer a orla central da cidade que agrega as praias de Iracema, Meireles e Mucuripe. É um ponto de encontro de turistas e moradores, principalmente ao entardecer. Além dessas praias, é recomendado dar um pulo na Praia do Futuro, famosa internacionalmente e que já foi cenário de um filme que levou seu nome, estrelado por Wagner Moura em 2014. A praia tem uma excelente estrutura de barracas e variedades.

    AS DUNAS E AS FALÉSIAS COLORIDAS
    Não deixe de dar um passeio de bugre pelas dunas nas praias de Morro Branco e das Fontes. É o símbolo do turismo local. Vale lembrar que essas praias ficam nos arredores da cidade, mas é um passeio extremamente prazeroso. Aproveitando que você já estará de bugre mesmo, não deixe de conhecer as lagoas de Cumbuco. É ideal para a prática de windsurf e kitesurf.

    VIDA NOTURNA
    A cidade é quente e à beira do mar, então a vida noturna é bem fértil na região. É comum as pessoas ficarem até altas horas nos bares à beira da praia. Além disso, a cidade tem uma vida cultural muito forte, não é à toa que de lá saiu gente como Belchior, Amelinha e Fagner, só para citar alguns. É recomendado também conhecer o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e suas peças de teatro, cinema, shows e museus. Ah, e não deixe de visitar também o Theatro José de Alencar, umas das maravilhas da arquitetura art nouveau.

    A CULINÁRIA LOCAL
    Uma das coisas que você não pode deixar de provar é a lagosta que servem na cidade, mais especificamente na praia de Curuípe. As jangadas aportam trazendo quilos da iguaria e você pode degustar nas barracas que servem na praia mesmo.
    Se você prefere uma comida mais fincada nas raízes nordestinas como o baião de dois e a carne de sol, é recomendado ir até os bairros de Varjota e Aldeota. Tem inúmeros restaurantes que servem além das comidas nordestinas, os frutos do mar.
    Não saia de Fortaleza sem ir ao bairro de Messejana. Aqui servem as maravilhosas tapiocas recheadas para todos os gostos.

    Espero que essas dicas sejam de grande utilidade para que você comece a desbravar uma das cidades mais bonitas do Nordeste. Faça uma pesquisa de hospedagens e passagens aéreas em nosso site. Temos inúmeras vantagens a oferecer para a região. Acesse: depassaporte.com.br/lazer

    dmca-badge-w150-5x1-06

    Deixe seu comentário
Página 1 de 612345...Última »