Descubra os encantos da Chapada Diamantina

Chapada Diamantina, Vale do Capão, por Erick Rabello 14

Vale do Capão

A Chapada Diamantina é uma das regiões mais bonitas do Brasil e guarda uma riqueza natural e cultural que encanta quem passa por lá. Ao todo, 24 cidades fazem parte da região e ainda tem o Parque Nacional da Chapada Diamantina, criado em 1985 e que engloba apenas algumas delas. Ou seja, muitas cidades são na região, mas não fazem parte do parque. É bom entender isso se você quer começar a explorar a região.
Como é uma região muito grande, não vá acreditando que você conhecerá tudo de uma vez. O ideal é que você escolha um tempo específico e explore apenas algumas cidades. Em geral as pessoas costumam conhecer os locais mais visitados, mas deixam de conhecer aqueles lugarzinhos mais escondidos ou que não entram nos grandes circuitos.
Nossa ideia é fazer alguns textos sobre a região, para que você conheça com calma. Nesse primeiro texto, vamos falar um pouco sobre a Vila de Caeté Açú, ou popularmente conhecida como Vale do Capão.

Chapada Diamantina, Vale do Capão, Erick Rabello 13

Vila do Vale do Capão

Vale do Capão, um oásis de paz no meio da Chapada Diamantina

O Vale do Capão é um distrito que faz parte da cidade de Palmeiras. Cravado entre as Serras da Larguinha e a do Candombá, o vale começou a ganhar notoriedade a partir dos anos 80 e atualmente é uma das regiões que mais atrai turistas para a Chapada Diamantina. Isso se dá, principalmente, pela localização geográfica da cidade de Palmeiras, que concentra uma grande quantidade de atrações naturais. Com isso, você conhecerá boa parte de rios, morros e cachoeiras gastando um pouco menos que ficar circulando de uma cidade para outra. Sim, se você quiser conhecer os pontos que geralmente são citados sobre a região, você terá que cair na estrada e pular de cidade em cidade. Se você não conhece a região, acredito que o Vale do Capão seja um bom ponto de partida.

COMO CHEGAR
Você poderá chegar no Vale do Capão de ônibus/carro ou de avião. O aeroporto mais próximo fica na cidade de Lençóis, uma das mais estruturadas da região. Os voos são feitos pela Azul Linhas Aéreas com saídas de São Paulo, Belo Horizonte e Salvador (verifique os dias em que possuem voos para a região).
De carro, saindo de Salvador, você poderá tomar a BR 324 até a cidade de Feira de Santana e de lá pegar a BR 116 até chegar na BR 242. Não é difícil. Você pode pegar também a Estrada do Feijão, que é um pouco mais longa que a BR 116, mas é mais calma e o motorista não pega tanto trânsito de caminhão.
Se for de ônibus, em Salvador tem saídas diárias às 7:00h, às 13:00h e às 23:00h. Em períodos mais festivos e na alta estação, costumam ter horários extras.
Se você chegar no aeroporto de Lençóis, terá que pegar um carro até o Vale do Capão. Se não encontrar carro para o Vale, você poderá ir até Palmeiras e, de lá tomar um carro até o Vale.
Se você chegar de carro em Palmeiras, precisará percorrer mais 20 Km na estrada vicinal Palmeiras / Vale do Capão.
Se você chegar de ônibus, ao descer na rodoviária terão alguns carros que fazem o transporte até o Vale do Capão. Não se preocupe, pois os motoristas já esperam no horário de chegada dos ônibus. Aí você percorrerá mais 20 Km na estrada vicinal Palmeiras / Vale do Capão.
O ponto final no Vale do Capão quase sempre é a praça. Às vezes o motorista irá passar pelo local que você se hospedará, então sempre peça indicação.

ONDE FICAR
A vila tem inúmeras opções de hospedagens. Você encontrará desde pousadas mais requintadas, até pousadas mais baratas. Se você tiver o espírito mais aventureiro, poderá ficar em algum camping. Programe sua viagem sempre com antecedência, já que em períodos de feriados e alta estação fica difícil encontrar hospedagem. Se isso acontecer, não se acanhe em ficar em um camping, pois eles possuem boas estruturas com banheiros, cozinhas, etc. O atendimento na região é sempre muito bom e eles te fazem sentir em casa.

Chapada Diamantina, Vale do Capão, Erick Rabello 06

Cachoeira da Fumaça

O QUE FAZER
01. VISITAR A CACHOEIRA DA FUMAÇA
A trilha que leva até a cachoeira é em nível moderado. Você precisará subir aproximadamente 2 Km e depois andar mais 4 Km no plano. Pode até ser cansativo, mas se for com calma, você nem sentirá tanto. A cada 10 m de subida você será recompensado com uma paisagem exuberante.
Aqui é o ponto que mais atrai pessoas para a região. Com seus 380m de queda d’água, a Cachoeira da Fumaça é um espetáculo da natureza. Em alguns períodos do ano ela fica quase seca, mas em seu período mais abundante o vento encontra a água da Cachoeira e faz com que ela retorne dando um banho, como se fosse chuva. Além de tudo isso, você está de frente para um vale e uma imensidão de céu e verde. As árvores, vistas lá de cima, parecem minúsculas!

02. EXPERIMENTAR A PIZZA INTEGRAL DO VALE DO CAPÃO
Uma pizza totalmente diferente onde a massa é integral e o recheio é feito de queijo, molho e cenoura. Se você não gosta de massa integral, nem vai sentir, porque a pizza é muito saborosa. Além disso, o lugar é extremamente rústico e aconchegante. Em noites mais frias, a pizzaria fica cheia. É comum encontrar grupos de amigos e famílias reunidas. Ah, não esqueça de pedir um suco natural feito lá mesmo.

Chapada Diamantina, Vale do Capão, Erick Rabello 01

Cachoeira do Rio Preto

03. TOMAR UM BANHO RELAXANTE NAS CACHOEIRAS DE RODAS E DO RIO PRETO
Essas trilhas não são difíceis de fazer. Elas costumam encher, em função da pouca dificuldade para encontrar. A Cachoeira de Rodas fica no caminho para o Rio Preto e é um imenso paredão onde será possível tomar um banho frio e relaxante. Algumas pessoas costumam ver o pôr-do-sol aqui, já que a posição dele faz com que o sol se ponha no vale.
Seguindo um pouco mais será possível encontrar A Cachoeira do Rio Preto. Ela tem um poço, onde é possível nadar. O lugar parece uma grande praia de pedras. Não deixe de se banhar nas águas geladas da cachoeira, pois elas deixarão seu corpo mais leve e aliviará o cansaço e o estresse.

04. PRATIQUE ALGUMA ATIVIDADE PARA A MENTE
Para quem viaja buscando um relaxamento ou uma paz espiritual, recomendo tirar um dia para praticar alguma atividade nessa área. Algumas pousadas oferecem serviços como retiros espirituais, aulas de Yoga, rodas de cura, massagem, acupuntura, estudos Xamânicos, etc. Isso combina muito com a natureza de paz do lugar. Para se ter uma ideia, a paz ainda reina na vila e não há polícia. Já imaginou isso no Brasil atual?

05. CONHEÇA AS ATIVIDADES CULTURAIS DO CIRCO DO CAPÃO
O circo tem uma tenda fixa na Rua do Jucá. Cercado de verde, o circo é um motor cultural na Vila. É comum ter apresentações na praça, principalmente em dias de festas, mas não deixe de visitar a instalação do circo. Dança, teatro, música, poesia, cinema e o que mais couber nesse caldeirão fazem parte da rotina dos artistas e eles envolvem toda a população e os visitantes. É comum encontrar pessoas do mundo todo participando das apresentações.

Chapada Diamantina, Vale do Capão, Erick Rabello 11

Morro do pai Inácio

06. VEJA O POR DO SOL NO MORRO DO PAI INÁCIO
Esse é um passeio que recomendo ser feito enquanto você está dirigindo-se ao Vale do Capão, pois o Morro do Pai Inácio ainda está na BR 242, mas dentro dos limites da cidade de Palmeiras. É uma trilha de fácil acesso que pode ser feita com crianças. É possível subir uma boa parte do Morro de carro. Na parte final dá para estacionar e iniciar a trilha a pé. Após a guarita, onde efetua-se o pagamento da taxa de entrada, você já estará no topo em 20 a 25 minutos. A vista lá de cima é magnífica e você já sentirá a paz que as pessoas costumam falar. A vista é em 360º e o pôr-do-sol é algo magnífico. Os tons de cores que serão impressos no céu te farão voltar para a visitar a Chapada Diamantina. O ideal é subir até às 16:00h, aproveitar um pouco, tirar fotos e depois curtir o astro rei se despedindo. Ah, não deixe de encontrar a pedra com formato de coração.

Chapada Diamantina, Vale do Capão, Erick Rabello 12

Vilarejo de Conceição dos Gatos

07. CONHEÇA CONCEIÇÃO DOS GATOS
Esse vilarejo está começando a ganhar notoriedade na região. A entrada fica na Estrada Vicinal Palmeiras / Vale do Capão e você encontrará um lugar ainda mais simples e rústico que o Vale do Capão. Tem a Cachoeira da Boa Vista que fica num quintal de uma moradora! Você paga uma taxa e por uma trilha de fácil acesso e bem demarcada, encontrará um oásis de diversão. O rio que passa pelo local forma alguns poços e ainda tem uma cachoeira gigante, onde é possível chegar na parte de cima e de baixo. Do alto, você poderá ver o horizonte com suas casas simples e jeito acolhedor. Não deixe de experimentar a galinha caipira que a dona do local oferece. Assim que chegar, já marque a hora que irá voltar da Cachoeira e ela irá preparar a iguaria. Na volta, tente passar algum tempo no Riachinho, já que ele fica na estrada e tem fácil acesso.

08. VISITE A FEIRA DO VALE DO CAPÃO
Quer conhecer realmente um local? Vá em sua feira ou no mercado da região. A feira do Vale do Capão acontece nas manhãs de domingo. É uma mistura de gente, cheiros, cores, culturas embrulhadas pela simplicidade do povo de lá. Alguns feirantes chegam de outras cidades para vender seus produtos orgânicos a um preço bem justo. Como fica na praça principal, a sensação que você tem é que toda a vila se encontra ali. Dica: não deixe de experimentar o delicioso pastel de palmito de jaca.

Chapada Diamantina, Vale do Capão, Erick Rabello 09

Morrão ao fundo

09. FAÇA A TRILHA DE ÁGUAS CLARAS / MORRÃO (MONTE TABOR)
Uma das trilhas mais bonitas da região. Tem dois caminhos para chegar até os locais. Você pode seguir pela trilha de Conceição dos Gatos, ou pela trilha que fica ao lado da entrada da Cachoeira da Fumaça. Se for por Conceição dos Gatos, você sairá nas costas do Morrão. Ele está entre os mais altos da região e é possível avistá-lo de várias cidades da Chapada. A subida dele é um pouco íngreme e é recomendada para quem já tem mais experiências com trilhas. Lá do alto você tem uma visão em 360º de paisagens exuberantes e de algumas cidades.
Já Águas Claras trata-se de uma pequena cachoeira de águas cristalinas e um poço delicioso para se banhar e tirar fotos sensacionais. Ela fica nos pés do Morrão e serve de refresco após a longa descida.

10. VISITE O POÇO DA ANGÉLICA E A CACHOEIRA DA PURIFICAÇÃO
Outra trilha de fácil acesso, mas que nem por isso deixa de exigir cuidados. O Poço da Angélica fica numa trilha após a Vila do Bomba e é um dos pontos mais refrescantes do Vale do Capão. Um enorme poço de águas geladas que farão seu corpo revigorar. Seguindo mais adiante e em algumas partes pelo leito do rio, será possível chegar na Cachoeira da Purificação. Lá você irá encontrar mais um poço de águas claras e geladas uma queda d’água que te fará uma massagem natural. Encrustado entre dois paredões, ele só bate sol em poucas horas do dia, mas a beleza do lugar é indescritível.

O Vale do capão ainda reserva mais algumas outras trilhas de fácil e de difícil acesso, mas você poderá descobrir aos poucos. Aqui seria um bom início para quem não conhece a região ou para quem já conhece e gosta de voltar sempre. A agência de turismo De Passaporte sempre disponibiliza passagens aéreas e hospedagens com descontos exclusivos em vários períodos do ano. Acesse nosso site e faça uma pesquisa: depassaporte.com.br/lazer

Algumas dicas nunca serão demais:
Leve roupas de frio e calor;
Leve um pouco de dinheiro consigo, pois em alguns locais não tem banco;
Use tênis ou bota confortáveis e que você já tenha testado antes;
Protetor solar é item obrigatório, pois você está em locais mais altos;
Beba bastante água durante todo o dia;
Valorize a culinária e os comerciantes locais, pois ele vivem disso;
Não arranque plantas. Não traga nada além de fotos e boas recordações,
Não faça trilhas sem a companhia de um guia, a não ser que tenha experiência;
Evite barulho excessivo e apenas escute a natureza;
E o mais importante de tudo: viaje sempre!

dmca-badge-w150-5x1-06

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *